Governo amplia idade máxima para doação

Teste em sangue coletado vira obrigatório

Por O Dia

Rio - O Ministério da Saúde ampliou de 67 para 69 anos a idade-limite máxima para a doação de sangue, o que reflete no aumento de 2 milhões de potenciais doadores no país. Além disso, o Teste de Ácido Nucleico (NAT), que detecta Aids e Hepatite C nas amostras, passou a ser obrigatório em todo o Brasil.

“Vale lembrar que a parcela mais idosa tem mais doenças, como hipertensão e diabetes, que impedem a doação”, ponderou a diretora do Hemorio, Clarisse Lobo.

Há quatro anos, o NAT é utilizado em todas as amostras de sangue do serviço público do Rio. A novidade é que agora bancos de sangue privados terão que utilizar o método. O exame consegue detectar o vírus da Aids apenas dez dias após a infecção do doador e o da hepatite, 12 dias depois. Em outros exames, os vírus ficam indetectáveis por cerca de um mês.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência