EUA entregam à França pintura de Picasso roubada há 14 anos

Considerada como 'uma peça única', obra 'La Coiffeuse' é avaliada em US$ 15 milhões

Por O Dia

Estados Unidos - As autoridades do Serviço de Imigração e Controle de Alfândegas (ICE) dos Estados Unidos entregaram nesta quinta-feira à França a "La coiffeuse", pintura do artista espanhol Pablo Picasso roubada há 14 anos do Centre Pompidou, em Paris, e encontrada em dezembro em 2014 em um navio em Nova Jersey, com uma etiqueta que dizia "Artesanato - US$ 37".

A obra, de estilo cubista e datada de 1911, é avaliada em US$ 15 milhões (mais de R$ 52 milhões) e é "uma peça única" destinada a voltar ao museu de onde desapareceu em 2001, destacou o embaixador da França nos Estados Unidos, Frédéric Dourei. A embaixada da França em Washington foi o local escolhido para formalizar a devolução do quadro e mostrar perante a imprensa uma obra, que foi contemplada pela última vez em 1998 em Munique, na Alemanha, de onde retornou a Paris para ser guardada no museu, de onde foi roubada.

Em dezembro de 2014, o quadro chegou à cidade americana de Newark, em Nova Jersey, em um navio que vinha da Bélgica, em um pacote com a inscrição "Joyeux Noel" (Feliz Natal, em francês) e na qual se assegurava que o conteúdo era uma peça de artesanato no valor de US$ 37 (R$ 130).

Os agentes de alfândegas examinaram o pacote e descobriram a obra de arte, que foi entregue ao departamento de Segurança Nacional (DHS). "É uma honra poder devolver esta obra tão significativa. Em um mundo em que se torna cada vez mais insignificante a proteção de tesouros culturais, estamos comprometidos em fazer todo o possível para devolvê-los a seus legítimos proprietários", destacou a diretora do ICE, Sarah Saldaña, que presidiu a cerimônia e considerou a recuperação e devolução de peças de arte roubadas uma "prioridade significativa" para sua divisão.

De acordo com a embaixada francesa, nas próximas semanas chegará à França a tela de óleo sobre lenço de 33 por 46 centímetros, cujo retorno será realizado em um ato oficial no Pompidou, um dos museus mais visitados do mundo.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência