Comando da PM desarquiva processo da morte da juíza Patricia Acioli

Ato foi publicado no Boletim Interno da corporação número 075

Por O Dia

Patrícia Acioli investigava PMsReprodução Internet

Rio - O comandante-geral da PM, coronel Luís Castro, determinou o desarquivamento do Conselho Disciplinar a que respondem nove dos 11 PMs condenados pela morte da juíza Patricia Acioli, em 2011, em Niterói. O ato foi publicado no Boletim Interno da corporação número 075. Após 30 dias, os membros do conselho devem se reunir para decidir se eles continuam ou não na corporação. A decisão deles será encaminhada ao comando-geral da PM, que baterá o martelo.

O desarquivamento acontece quase três anos depois de todos terem sido presos e um ano e cinco meses após o primeiro PM ser condenado pelo crime, em 2012. Já o Conselho de Justificação, a que respondem o tenente-coronel Claudio Oliveira e o tenente Daniel Benitez, também condenados pelo crime, estaria arquivado. O procedimento é diferente dos praças por eles serem oficiais. Apesar dos 11 estarem condenados e a Justiça ter decretado a perda da função de todos, eles ainda permanecem na PM.

O desarquivamento do Conselho Disciplinar acontece quase um mês depois da condenação dos dois últimos réus. O primeiro a ser julgado foi o cabo Sergio da Costa Júnior que confessou ter dado 15 dos 21 tiros disparados na magistrada.A PM informou que só desarquivou o conselho agora porque havia possibilidade de surgirem novos fatos nos julgamentos que aconteceram em datas diferentes. A corporação tem 15 dias para concluir o Conselho de Disciplina, mas o prazo pode ser prorrogado.

Últimas de Rio De Janeiro