'Musa do tráfico' é transferida para o Complexo de Gericinó, em Bangu

Natacha comprava drogas na Pedreira, área dominada pelo traficante Playboy, e revendia, inclusive para presídios

Por O Dia

Nathacha Marques Veras%2C de 25 anos%2C preferia não beber para não 'matar polícia'Divulgação

Rio - Presa nesta quarta-feira na Rocinha por participação com o tráfico de drogas e apontada como responsável pela distribuição de entorpecentes para os traficantes, Natacha Marques Veras foi transferida, ainda na tarde desta quarta-feira, para a Cadeia Pública Joaquim Ferreira de Souza, no Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, de acordo com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

Natacha foi presa por policiais da 11ª DP (Rocinha), com o apoio da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), por tráfico de drogas e associação ao tráfico de drogas. Segundo a polícia, Natacha participava da compra de drogas nas comunidades do Complexo da Pedreira — área dominada pelo traficante Playboy, o mais procurado do Rio — e revendia, inclusive para presídios.

Escutas telefônicas foram decisivas para que a polícia chegasse a Natacha. Também conhecida como 'musa do tráfico', ela chega a dizer, a um interlocutor não identificado, em uma das gravações: "Se eu beber hoje, vou matar polícia".

Contra Natacha Marques Veras, foi cumprido um mandado de prisão preventiva, expedido pela 35ª Vara Criminal da Capital. Segundo a polícia, ela foi identificada durante as investigações que resultaram na operação Gênesis, desencadeada em setembro de 2014 e que contou com a expedição de 51 mandados de prisão.

'Se eu beber vou matar polícia', diz 'musa do tráfico' em gravação

As investigações também revelam que ela tinha livre trânsito junto a liderança do tráfico, e comprava eletrodomésticos e eletrônicos para os traficantes.

Durante a operação em que a mulher foi presa, policiais entraram em confronto com alguns bandidos e um homem foi morto. Ele foi levado para o hospital e não resistiu. O homem, ainda não identificado, carregava uma pistola Glock 9mm.

A conversa:

Na gravação feita pela polícia, Natacha conversa com um interlocutor não identificado

Natacha: "Estou em casa boladona".

Interlocutor: "Se eu estivesse aí, ia beber contigo hoje".

Natacha: "Se eu beber hoje, vou matar polícia. Não quero nem beber hoje".

Interlocutor: "Bagulho é tranquilidade"

Natacha: "Aham, o bagulho é esse. É tranquilidade. Tá estressante".

Interlocutor: "Fuma um, fuma um!" (cigarro de maconha)

Natacha: "Estou fumando toda hora. Os moleques foram lá na rua, na Figueira, pegar um baseado agora do bom".

Polícia prende três mulheres envolvidas com o tráfico de drogas

Mulher que atuava no tráfico é presa na RocinhaDivulgação


Últimas de Rio De Janeiro