PMs obrigam frequentadores de baile funk a exaltar batalhão

Policiais exigiram que frequentadores gritassem 'eu amo o 7º batalhão'. Corporação repudia conduta e vai investigar o caso

Por O Dia

Rio - Em vídeo enviado para o WhatsApp do Dia (98762-8248) nesta terça-feira, leitores flagraram ação de policiais militares do 7º BPM (São Gonçalo) no último sábado na Favela da Chumbada, em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio. Segundo a denúncia, os PMs acabaram com um baile funk na comunidade, queimaram os equipamentos de som e obrigaram os participantes a andar em fila, de mãos dadas, falando a frase: "Eu amo o sétimo batalhão".

Nas imagens, os militares insistem em manter a ordem da fila e repetem a frase várias vezes para que as pessoas obedeçam a ordem e falem. Em meio a vários palavrões, um PM, que não aparece na filmagem chega a fazer uma ameaça de morte: "Se me xingar, quando chegar lá embaixo (no pé do Morro da Chumbada), vai morrer amanhã, hein!".

Um outro participante que achava graça de ser obrigado a repetir a frase ditada pelos PMs, foi ameaçado e xingado: "Vou tirar o sorriso da sua cara com uma porrada, ô veado!", diz o militar na filmagem.

O DIA tentou contato com o comandante do 7º BPM, coronel Fernando Salema, para questionar o comportamento dos subordinados, mas ele não atendeu as ligações. Segundo informações da unidade, no sábado, dia 13 de julho, três bailes funk sem autorização foram reprimidos em São Gonçalo. Além do da Chumbada, houve ação também nos morros do Martins e da Viúva.

Somente na manhã desta quarta-feira, o Comando da PM se posicionou através da assessoria de imprensa repudiando a atitude dos policiais. Foi determinado que a Corregedoria Interna instaure um procedimento apuratório para identificar e punir os envolvidos no caso.

Últimas de Rio De Janeiro