Ossadas de gatos e dois cães vivos são encontrados em parque aquático

Direção do Maracanã terá que explicar para a polícia como os animais foram parar na piscina do Júlio Delamare

Por O Dia

Rio - A direção do Maracanã terá que explicar para a polícia como 14 ossadas de gatos e dois cães vivos foram parar na piscina do parque aquático Júlio Delamare. O portão de acesso ao lugar fica trancado com cadeado. Representantes de associações de defesa dos animais denunciaram o caso na sexta-feira.

Vira-lata batizado de César CieloDivulgação

“Se o portão estava com cadeado, como os cães passaram por alí? Alguém abandonou os cães em condições precárias. Foi maus-tratos”, acusou um agente da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA).

Os dois cachorros sobreviventes da maldade ganharam ontem comida, carinho e nome. Foram batizados de Gustavo Borges e Cesar Cielo, atletas campões da natação. Os simpaticos vira-latas foram levados para a Fazenda Modelo, em Guaratiba, onde estão medicados e serão destinados para adoção.

“Batizei os cães com o nome dos nadadores, já que eles foram encontrados dentro de uma piscina e um dos animais estava com hipotermia (quando a temperaturdo corpo fica muito baixa)”, afirmou o secretário Especial de Promoção e Defesa dos Animais, Luiz Carlos Ramos Filho. “Foi muito cruel o que fizeram”, completou.

Ainda segundo o secretário, em 2015, a Secretaria resgatou 757 animais e 553 deles foram adotados na campanha ‘Maratona de Adoção’, que acontece nos fins de semana. A suspeita da polícia era que cães eram soltos à noite propositadamente dentro do complexo para matar os gatos que circulavam pelo local. A área é fechada e de difícil acesso do público que frequenta o espaço esportivo.

Últimas de Rio De Janeiro