Por gabriela.mattos

Rio - Quando o relógio marcar 13h30, a estudante Anna Beatriz Oliveira, de 17 anos, já sabe exatamente o que fazer quando abrir o caderno de questões do Enem. Ela recita sua estratégia com facilidade: “Eu quero História, então vou começar por Humanas, que é o que vale mais pra mim. Vou tentar levar menos de três minutos para cada questão, para sobrar mais para Natureza. O negócio é gerir o tempo”.

Para Anna e outros 8,38 milhões de inscritos em todo o país que tentam o ingresso no Ensino Superior, o relógio deve ser o melhor amigo neste fim de semana. Primeiro, para chegar na hora: os portões de acesso serão abertos às 12h e fechados às 13h — a prova começa meia hora depois. Segundo, para conseguir fazer 90 questões de múltipla escolha em apenas 4h30. Os fiscais de prova avisam a cada 30 minutos, por meio de adesivos afixados na parede.

No Estado do Rio, 550.179 candidatos estão inscritos, mas 15.975 deles (2,9%) tiveram as provas adiadas para dias 3 e 4 de dezembro devido às ocupações nas escolas. O número de locais ocupados aumentou de dez para 12: na capital são sete, referentes às unidades do Colégio Pedro II no Centro, Humaitá, Engenho Novo, Realengo, São Cristóvão e Tijuca. Em todo o país, serão 240.304 afetados pelo adiamento: 2,79% dos mais de 8,6 milhões de inscritos.

A estudante Anna Beatriz fez diversos simulados em sua escola para aprender a gerir o tempo no Enemarquivo pessoal

Quem vai fazer o Enem hoje vai encarar questões de Ciências Humanas e Ciências da Natureza. Amanhã serão testados Linguagens e Códigos, com cinco perguntas de língua estrangeira, e Matemática, além de uma hora a mais para a temida redação. O tema costuma surpreender. Ano passado, os candidatos tiveram que escrever sobre violência contra a mulher. “A minha maior preocupação é não fazer a redação em uma hora.

Tenho medo de ter que escrever sobre algo que eu não tenha familiaridade, a redação pesa muito. Estou apostando em temas ligados a meio ambiente ou cultura”, conta.

A novidade deste ano é a identificação biométrica dos candidatos, além da utilização de detectores de metais, que será intensificada. É necessário levar caneta preta feita de material transparente, um documento oficial com foto e o Cartão de Confirmação de Inscrição. Não são permitidos equipamentos eletrônicos, que devem ser guardados no envelope porta-objetos antes de entrar na sala.

Nada de selfie com o caderno de questões

Antes de iniciar a prova, o candidato deve verificar se o caderno de questões contém todas as 45 perguntas de cada área do conhecimento. É importante marcar no Cartão-Resposta qual a cor do caderno recebido e transcrever a frase impressa na capa deste.

É proibido usar bonés, chapéus e óculos escuros; além, é claro, de portar armas de qualquer espécie. Livros e anotações também devem ficar do lado de fora do local de prova. Celulares e tablets não são permitidos e ficam guardados debaixo da cadeira: nada de selfie com o caderno de questões.

É permitido — e até mesmo recomendado — levar um lanche e uma garrafa d’água: são 4h30 de prova hoje e 5h30 amanhã. Prefira alimentos leves e não exagere na quantidade, ou você pode se distrair.

A redação, contida na prova de amanhã, deve ter no máximo 30 linhas e no mínimo 7. É preciso oferecer no texto uma solução para uma situação-problema nas áreas política, cultural e social.

As cinco questões de Língua Estrangeira devem ser respondidas de acordo com a opção feita pelo candidato na inscrição: ou Inglês ou Espanhol. Não é permitido trocar de língua.

?Reportagem da estagiária Alessandra Monnerat

Você pode gostar