Cariocas pegam jacarés de verdade nas praias

Fenômeno surpreende banhistas. Cinco répteis foram capturados em três dias na Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes

Por O Dia

Rio - Além de lixo, as fortes chuvas que atingiram o Rio nos últimos dias levaram até jacarés, da espécie papo-amarelo, para as praias da Zona Oeste, causando surpresa e apreensão aos banhistas.

Pelo menos cinco animais foram resgatados por bombeiros e agentes da Patrulha Ambiental da prefeitura nas areias da Barra da Tijuca e Recreio, entre quarta-feira e ontem. O último, um filhote, foi recolhido na Praia da Macumba, onde outro animal já tinha sido encontrado por pedestres na quarta-feira. A Praia de São Conrado também recebeu a ilustre visita quinta-feira.

Um dos animais foi resgatado por bombeiros e causou medo na praiaDivulgação

A presença dos répteis — já muito vistos no asfalto da região —, na beira-mar, virou atração turística. “Levei um susto ao me aproximar de um aglomerado de gente, e perceber que o centro das atenções era um jacaré. Pensei: ‘E se esse bicho me pega distraído tomando sol?’”, comentou Marinho Vanis, na postagem de um amigo, que reproduziu a foto do jacaré numa rede social.

O Corpo de Bombeiros alegou que não tem estatística separada de captura de jacarés nas ruas e praias da cidade. Já a Secretaria municipal de Conservação e Meio Ambiente (Seconserva) informou que só este ano seis outros animais já foram resgatados nesses locais pela Patrulha Ambiental. Em 2016 foram 13. No asfalto, a média de capturas na cidade é de oito por mês.

Em entrevista recente ao DIA, o fundador do Instituto Jacaré, biólogo Ricardo Freitas Filho, um dos maiores entendedores do comportamento do bicho no Brasil, alertou para que as pessoas não matem jacarés.

Ataque só em defesa

“O jacaré-do-papo-amarelo não enxerga o ser humano como alimento e só ataca para se defender”, comentou Ricardo. Estima-se que só no Complexo Lagunar de Jacarepaguá — composto pelas lagoas da Tijuca, Camorim, Jacarepaguá e Marapendi — existam cerca de 4 mil jacarés da espécie. Boa parte vem sendo ‘expulsa’ pelo homem, devido à expansão imobiliária e desmatamentos.

Últimas de Rio De Janeiro