Portal pede informações sobre envolvidos em tiroteio que matou bebê Arthur

Confronto entre PM e traficantes ocorreu no dia 30 de junho, na comunidade do Lixão, em Duque de Caxias

Por O Dia

Rio -  O Portal dos Procurados está oferecendo uma recompensa de R$ 1 mil por informações que levem às prisões de Romário Conceição da Silva, o Pirulito, de 28 anos e Charles Jackson Neres da Silva, o Charlinho do Lixão, de 23. Eles são acusados de tentativa de homicídio de policiais do 15º BPM (Duque de Caxias), o que resultou na morte do bebê Arthur, atingido no útero da mãe em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. Pirulito também foi denunciado pelo crime de aborto provocado por terceiros sem o consentimento da gestante.

Romário Conceição da Silva e Charles Jackson Neres da Silva são acusados de tentativa de homicídio de policiais militares do 15º BPM (Duque de Caxias)%2C que resultou na moDivulgação

A troca de tiros ocorreu no dia 30 de junho, por volta das 17h30, na Rua Frei Fidélis, na comunidade do Lixão, quando policiais realizavam patrulhamento em duas viaturas.

No dia do crime, de acordo com a denúncia enviada ao Ministério Público, ao atirar contra os policiais, Pirulito, foi responsável pelo disparo que acabou atingindo a mãe do bebê que estava com nove meses de gestação. Arthur Cosme de Melo nasceu com vida, mas não resistiu ao ferimento e foi a óbito após apresentar piora de seu quadro clínico em decorrência de uma hemorragia digestiva intensa. Ele estava internado no Hospital Adão Pereira Nunes, em Saracuruna, Duque de Caxias.

Já Charlinho do Lixão é o líder da facção criminosa que domina o tráfico de drogas na comunidade do Lixão e foi denunciado porque ordenou aos subordinados que disparassem contra os policiais que faziam o patrulhamento ostensivo. 

Quem tiver qualquer informação a respeito da localização dos envolvidos, pode denunciar pelos seguintes canais: Whatsapp ou Telegram Portal dos Procurados (21) 98849-6099; pela mesa de atendimento do Disque-Denúncia (21) 2253-1177, pelo facebook/(inbox), endereço: https://www. facebook.com/procurados.org/, ou pelo aplicativo do DD. Em todos os canais de denúncias, o anonimato é garantido. 

Todas as informações sobre o caso serão encaminhadas para 59ª DP (Duque de Caxias), que está à frente das investigações e do inquérito criminal.

Últimas de Rio De Janeiro