Mais Lidas

Sérgio Cabral é condenado a mais de 15 anos de prisão

Ao todo, ex-governador já foi condenado a 87 anos de cadeia. Ele responde a quatro processos

Por gabriela.mattos

Rio - O ex-governador Sérgio Cabral foi condenado a mais de 15 anos de prisão, nesta terça-feira, pela operação Eficiência, um desdobramento da Lava Jato. A decisão foi do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal. Ao todo, ele responde a quatro processos e já foi condenado a 87 anos de cadeia. Três ações estão com Bretas e uma com o juiz Sergio Moro, no Paraná.

Sérgio Cabral é condenado a mais de 15 anos de prisãoFabio Motta / Estadão Conteúdo

Na mesma ação, outros dez réus foram condenados, inclusive a ex-primeira da Adriana Ancelmo, que voltou a cumprir prisão domiciliar. Ela saiu da Cadeia de Benfica, na Zona Norte, após uma decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. Os outros envolvidos são: Wilson Carlos, Carlos Miranda, Luiz Carlos Bezerra, Sérgio de Castro Oliveira, Ary da Costa Filho, Thiago Aragão, Álvaro Novis, Renato Chebar e Marcelo Chebar.

?Em sua sentença, Bretas sustenta que Cabral é o principal idealizador do "audaz" esquema de lavagem de dinheiro que movimentou milhões no Brasil e no exterior.

"A magnitude de tal esquema impressiona, seja pela quantidade de dinheiro espúrio movimentado (milhões), seja pelo número de pessoas envolvidas na movimentação desses recursos. Além disso, a lavagem de dinheiro que tem como crime antecedente a corrupção reveste-se de maior gravidade, por motivos óbvios, merecendo o seu mentor intelectual juízo de reprovação mais severo", argumentou.

Já sobre Adriana, o juiz argumenta que a culpabilidade da ré no esquema "se mostra bastante acentuada". "Adriana, mulher de Sérgio Cabral, e membro da organização liderada por ele, usava seu escritório de advocacia para lavar o dinheiro espúrio angariado pela Organização Criminosa", escreveu o juiz.

Adriana Ancelmo deixa cadeia em Benfica para cumprir prisão domiciliar

Adriana foi presa pela primeira vez em dezembro de 2016, durante a Operação Calicute, um desdobramento da Lava Jato no Rio. Na mesma ação, Cabral também foi preso. Até o mês passado, a advogada cumpria prisão domiciliar, mas voltou à cadeia de Benfica depois de uma decisão do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2). O marido está preso na mesma cadeia.

Em setembro, Adriana foi condenada a 18 anos e 3 meses de prisão pelo crime de lavagem dinheiro e por ser beneficiária do esquema de corrupção comandado pelo ex-governador. A Calicute investiga o desvio de recursos públicos em obras realizadas pelo governo fluminense com empreiteiras no estado.

?Com informações do Estadão Conteúdo

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia