Do espumante ao champanhe, não faltam opções de borbulhas no fim de ano

Seja qual for a escolha, a bebida deve ser servida bem gelada, entre 6 e 8 graus para garantir um bom brinde

Por O Dia

Moët %26 Chandon é opção para quem quer degustar a bebida que vem da região de Champagne%2C na FrançaDivulgação

Espumante, cava, prosecco, crémant ou champanhe? A variedade de borbulhas para o fim de ano é grande, mas qual escolher?

Para começar a entender, somente o vinho espumante feito na região francesa de Champagne pode receber o nome de champanhe. Ele é elaborado pelo método tradicional conhecido como champenoise, no qual o vinho branco é engarrafado com uma levedura e a fermentação é realizada dentro da garrafa. Os outros tipos podem até ser feitos da mesma forma, mas não podem ser batizados de champanhe, porque esta é uma denominação de origem controlada. Por isso, outros vinhos gaseificados feitos pelo mesmo método em outras regiões da França levam o nome de crémant e em outros países são chamados de espumantes. Em geral, eles são produzidos com as uvas chardonnay, pinot noir e pinot meunier, e podem também ser feitos pelo método charmat, quando a bebida é gaseificada em grandes tanques. Já a cava é o vinho gaseificado produzido na Espanha, comum na região da Catalunha, sendo uma denominação de origem. Suas uvas são a macabeo, parellada e xarello. Enquanto o prosecco é italiano, um espumante fabricado com a uva do mesmo nome, da região do Veneto.

Independentemente do nome, todos devem ser servidos bem gelados, entre 6 e 8 graus. A qualidade é testada pela sua cor amarelo palha cristalino e pela suas borbulhas, a perlage. Quanto menores e mais constantes as bolinhas, melhor a bebida. Agora é só escolher o seu, abrir e ter um Feliz Ano Novo!

OUTROS COPOS

Dia de Reis

Para comemorar o Dia de Reis, a confeitaria The Bakers, em Copacabana, prepara uma Rosca especial,
feita com massa semifolhada doce, recheio de passas e canela decorada com damasco, nozes e amêndoas filetadas. A rosca vem acompanhada da medalha da prosperidade e de uma coroa (R$49,90).

Sucesso no exterior

O espumante Moscatel, da vinícola Aurora, teve 22% de sua produção total exportada em 2014. Foram 360 mil garrafas com destino para Estados Unidos, França, Inglaterra, Bélgica, Dinamarca, Suíça e Japão. Na badalada revista Decanter, ele conseguiu 90 pontos, pela sua excelente qualidade.

As tradicionais receitas do Café Sorelle, em Botafogo, conhecido por seus cafés gourmet, foram reunidas em um livro que conta a história do local, criado há dez anos. São 169 páginas com delícias como a sopa fria de tomate com manjericão. Elas vêm direto do caderno de receitas da avó italiana das proprietárias, as irmãs Elsia, Paula e Ana Mattoso.

Degustação refrescante

Na estação mais quente do ano, o sommelier Dionísio Chaves promove degustação de verão, no domingo, em sua Bottega del Vino, no Leblon. Das 16h às 22h, serão oferecidas duas taças de espumante branco ou rosé, harmonizando com entradinhas da casa.

Para todo mundo brindar

A importadora World Wine ampliou sua carta de espumantes para o fim de ano. Há preços para todos os bolsos, desde a Cava Pere Ventura Tresor Reserve Brut(R$ 23), ao Prosecco di Valdobbiadene Mionetto Superiore Extra-Dry DOCG (R$ 95), até o Champagne Billecart-Salmon Brut Rosé (R$ 498). É abrir e brindar.

Frutas e bolhas

A sommelière da vinícola Salton, Carina Cooper, dá uma dica para amenizar as altas temperaturas do verão. É só adicionar frutas vermelhas numa taça de Salton Lunae Frisante Rosé para dar adeus ao calor. Ele tem finas borbulhas, aroma de flores brancas, rosas e frutas como cereja, morango e framboesa.

Últimas de _legado_Notícia