Demora para enviar reajuste do piso regional gera reclamações

Representantes de trabalhadores cobram explicação do governo

Por O Dia

Rio - Os representantes das seis centrais sindicais que fazem parte da bancada dos trabalhadores no Conselho Estadual de Trabalho e Renda (Ceterj) vão cobrar do governo do estado o motivo por não ter enviado a mensagem de reajuste do piso regional para votação na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). A proposta aprovada pelo conselho em dezembro do ano passado pela primeira vez por consenso foi enviada à Casa Civil logo em seguida. O aumento previsto é de 10,37% sobre as faixas salariais.

“Não tem motivo para tanta demora no envio da mensagem à Alerj. O governo não informa o que está acontecendo. Queremos uma posição do governo”, afirma Cláudio Rocha, representante da UGT no conselho, ressaltando que o grupo vai publicar nota oficial com o pedido de esclarecimentos.

Procurada pelo DIA, a Casa Civil se limitou a informar que ainda não havia definição para o envio da mensagem com a proposta de aumento para o piso regional à Assembleia Legislativa. Depois de aprovada na Casa, terá que ser sancionada pelo governador Luiz Fernando Pezão.

Pela proposta de reajuste, o piso das doméstica, por exemplo, subirá de R$953,47 para R$1.052,34 com data retroativa a 1º de janeiro. A iniciativa prevê ainda a redução do número de faixas salariais das atuais oito para apenas seis patamares.

Últimas de Economia