Flamengo e Fluminense ligam sinal de alerta contra a febre amarela em Cariacica

Primeiro caso de morte ligado a doença na Grande Vitória atingiu um morador do local do clássico deste domingo

Por O Dia

Rio - Além de disputarem um clássico que vale a liderança geral do Campeonato Carioca, Flamengo e Fluminense também enfrentam um inimigo fora das quartro linhas: a febre amarela. A partida deste domingo será realizada em Cariacica, onde foi registrada a primeira morte pela doença na Grande Vitória. Os clubes cariocas informaram que as medidas de prevenção já foram tomadas, também de olho nas viagens para a disputa da Taça Libertadores e Copa Sul-Americana.

Estádio Kléber Andrade%2C em Cariacica (ES) receberá Fluminense e FlamengoDivulgação

Na equipe do Fluminense, a maioria dos atletas já está vacinada. Os que ainda faltam receberão a vacina no início do mês de abril, segundo informações da assessoria de imprensa tricolor.

O clube da Gávea informou que todos integrantes da delegação rubro-negra estão devidamente vacinados. Os cuidados foram tomados ainda no início da temporada, já que na disputa da Copa Libertadores alguns países exigem a vacina.

Fluminense e Flamengo se enfrentam neste domingo, no estádio Kléber Andrade, às 16h, pela última rodada da Taça Rio.

FEBRE AMARELA

A febre amarela atinge humanos e macacos e é causada por um vírus da família Flaviviridae. No meio rural e silvestre, ele é transmitido pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes. Em área urbana, o vetor é o Aedes aegypti, o mesmo da dengue, do vírus Zika e da febre chikungunya. Segundo o Ministério da Saúde, a transmissão da febre amarela no Brasil não ocorre em áreas urbanas desde 1942.

Reportagem de Luis Araujo e Sarah Borborema

Últimas de Esporte