Ibovespa opera no vermelho pressionado por Petrobras

Governo admite que economia pode retrair neste ano. No exterior, Grécia tenta acordo para se manter na Zona do Euro

Por O Dia

Após três altas seguidas, o Ibovespa passa por um ajuste nesta quinta-feira e, por volta das 13h, recuava 0,31%, aos 51.123 pontos. Os papéis da Petrobras figuravam na ponta negativa do índice, com queda de quase 4%.

Além das preocupações com a estatal, o mercado avalia as declarações do ministro da Fazenda, Joaquim Levy, que admitiu ontem em palestra a investidores em Nova York, que a economia do Brasil pode fechar o ano com retração. O Boletim Focus projetou, pela primeira vez, que o Produto Interno Bruto (PIB) do país pode terminar 2015 negativo, com queda de 0,42%.

Nos Estados Unidos, as bolsas abriram no vermelho. Os agentes do mercado focam a negociação entre Grécia, União Europeia e Fundo Monetário Internacional (FMI). Com o programa de resgate da economia prestes a vencer, Atenas solicitou a prorrogação, por seis meses, de seu acordo de empréstimos.

A resposta à demanda deve sair na sexta-feira, quando os ministros de finanças do bloco vão se reunir em Bruxelas para avaliar o pedido. Uma resposta positiva pode evitar a falência da Grécia e assegurar sua permanência na Zona do Euro.

No mercado de câmbio, por volta das 13h, o dólar subia 0,7%, cotado a R$ 2,862 na venda.

Últimas de _legado_Notícia