Governo prepara plano rápido contra greve durante a Copa

Na Bahia, vereador que liderou a paralisação da Polícia Militar foi preso pela PF

Por O Dia

Brasília - Preocupado com ameaça de greve em vários setores estratégicos durante a Copa do Mundo, o governo estuda um plano rápido a adotar para frear esses movimentos. Apontado como o líder da greve da Polícia Militar na Bahia, o vereador Marco Prisco (PSDB) foi preso na tarde desta sexta-feira (18) O Palácio do Planalto avaliou como positiva a reação rápida do governo federal à paralisação da Polícia Militar baiana. O movimento, que durou três dias, terminou na quinta-feira, assim que chegaram integrantes da Força Nacional e das Forças Armadas à Bahia, a pedido do governador Jaques Wagner (PT). Ontem, apontado como o líder da greve da PM baiana, o vereador Marco Prisco (PSDB) foi preso pela Polícia Federal.

Os policiais militares aceitaram basicamente o que o governo do estado tinha oferecido antes. Houve pouca alteração substancial no acordo que encerrou a paralisação. O governo considerou a resposta à greve um teste positivo e poderá a usar a mesma estratégia na Copa, segundo o Blog do Kennedy, abrigado no Portal iG.

Governadores de estados em que há rumores de eventuais paralisações estão sendo estimulados pelo Planalto a seguir o exemplo de Jaques e pedir reforço imediato de tropas federais. O governo federal elaborou um plano de pronto atendimento a esse tipo de reivindicação.

A estratégia do governo é carimbar como oportunistas e chantagistas eventuais greves de policiais ou de outros setores do funcionalismo que usem a Copa para pressionar governantes.

Em entrevista ao ‘Jornal do SBT’, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou que o governo tem “um plano de contingência” para um cenário de onda de greves pré-Copa. Exemplo: medida para evitar que uma greve de policiais federais dificulte o controle de passaportes dos estrangeiros que virão para o evento.

“O policial saberá entender que uma hora é hora da sua reivindicação. Outra hora é hora de jogar junto com toda a sociedade brasileira para que a gente tenha uma excelente Copa”, disse Cardozo.

A prisão preventiva do vereador Prisco por 90 dias faz parte de uma ação penal contra sete acusados por diversos crimes na greve de 2012. Ele é diretor-geral da Associação de Policiais e Bombeiros e de seus Familiares no Estado da Bahia (Aspra). Prisco foi transferido ontem para o Presídio da Papuda, em Brasília.

Segundo a Secretaria de Segurança, foram registrados 59 homicídios em Salvador e região metropolitana durante a greve de três dias.

Últimas de _legado_Brasil