Corte de energia foi feito para evitar colapso no país

Informação da Aneel desmente ministro Eduardo Braga, que disse que houve falha técnica

Por O Dia

Brasília - O diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Reive Barros, admitiu nesta terça-feira que o país esteve, na segunda-feira, perto do colapso no fornecimento de energia elétrica. Ele disse que o desligamento da carga determinado pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), em 10 estados e o Distrito Federal, evitou que o abastecimento de energia entrasse em risco no país.

Segundo ele, a determinação de cortar energia foi preventiva para equilibrar o sistema. Vinte minutos antes, o consumo atingira o pico nas regiões Sudeste e Centro-Oeste. “Uma coisa é você desligar com controle. Outra coisa é perder o controle e perder todas as usinas. Aí, o desastre é maior”, afirmou.

Barros alegou que quando se percebe que o consumo é superior à capacidade de produção deve-se cortar a carga para equilibrar o sistema. “Do contrário, coloca-se o sistema em risco”, disse.

Mesmo após a explicação da Aneel sobre o pico de consumo%2C Eduardo Braga repetiu a versão de que uma falha levou ao corte de energiaAgência Brasil

A afirmação de Barros desmente informação divulgada na segunda-feira pelo ministro das Minas e Energia, Eduardo Braga, de que houve uma falha no sistema e não problemas na capacidade. “Houve uma falha técnica. Se não houvesse essa falha, não teria a queda de eenergia”, afirmara Braga.

Mas, de acordo com o Operador Nacional do Sisstema Elétrico (ONS), a informação do ministro estava errada e na tarde de segunda-feira foi registrado aumento da demanda no horário de pico, o que provocou a redução na frequência elétrica. Reive Barros explicou que, por isso, foi programada a redução de 5% do consumo de energia, para que o controle do sistema fosse garantido.

Ele alegou que o país está enfrentando situação de baixo nível dos reservatórios e elevado consumo de energia. E que o ONS monitora variações de demanda para evitar colapsos. “Principalmente em função do verão, com altas temperaturas e, consequentemente, um índice de utilização do sistema de refrigeração elevado. Os dois fatores fazem com que a operação do sistema seja feita com mais cuidado.”

André Pepitone, também diretor da Aneel, ressaltou que o fornecimento normal de energia foi retomado em cerca de uma hora, o que provaria a “robustez” do Sistema e que todos os equipamentos funcionaram. Mas admitiu que há riscos por causa da estiagem. “Este ano exige atenção. Tem que torcer para chover, não é?”.

Braga volta a falar em falha técnica

Apesar da confirmação pela Aneel de que o corte de energia em 10 estados e no Distrito Federal foi causado pelo consumo elevado, o ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, repetiu ontem que não houve falha técnica. Segundo o ministro, o problema foi na linha de transmissão que leva energia do Norte para as regiões Sul e Sudeste.

Apesar de negar a falta de energia para atender à demanda, Braga informou que, até 18 de fevereiro, a Petrobras retomará a geração de 867 megawatts de energia térmica de uma usina parada para manutenção. Segundo ele, alternativas estão sendo estudas, inclusive geração de energia adicional de Itaipu, para reforçar o sistema, até que os problemas, que, segundo ele, houve na Linha Norte-Sul sejam superados.

Últimas de _legado_Brasil