Presos fiscais suspeitos de receber propina em SP

Funcionários da Fazenda são acusados de envolvimento na Máfia do ICMS

Por O Dia

São Paulo - Foram presos ontem quatro agentes fiscais da Secretaria da Fazenda do governo de São Paulo suspeitos de envolvimento com a Máfia do ICMS. Esquema montado supostamente por funcionários da Receita estadual cobraria propina em troca de abatimento ilegal do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços. O caso é investigado pelo Grupo Especial de Repressão a Delitos Econômicos (Gedec), Ministério Público Estadual, desde 2013. O prejuízo aos cofres públicos é estimado em R$ 2,7 bilhões.

Ao todo, foram expedidos sete mandados de prisão e dez de busca e apreensão pela Operação Zinabre — o nome refere-se a uma substância que se forma na superfície do cobre ou do latão quando ele entra em contato com a umidade do ar.

Segundo a investigação, o esquema de propina envolvia a empresa Prysmian, que atua na área de fabricação de cabos elétricos. De acordo com o Ministério Público, os agentes fiscais que são alvo da operação detêm um padrão de vida aparentemente incompatível com suas remunerações mensais na Secretaria da Fazenda de São Paulo.

Os fiscais foram presos em São José dos Campos e Sorocaba, interior paulista.

As prisões ocorreram depois que o doleiro Alberto Youssef, réu na Operação Lava Jato, revelou aos promotores paulistas como ajudou o consultor Júlio Camargo a livrar uma empresa da quitação de ICMS por meio de propina paga a funcionários públicos. O depoimento é mais uma prova da existência de esquemas dentro do Fisco.

Últimas de _legado_Brasil