Rússia não vai interferir em conflitos na Ucrânia

Contestações populares começaram depois de o governo do país ter recuado em relação a uma associação com a União Europeia

Por tamara.coimbra

Rússia - A Rússia não vai interferir na situação da Ucrânia, informou nesta quinta-feira o porta-voz da Presidência, Dmitri Peskov. Os confrontos entre manifestantes e forças de segurança já deixaram cinco mortos desde a intensificação dos conflitos na capital do país, Kiev, nos últimos dois meses. As contestações populares começaram depois de o governo do país ter recuado em relação a uma associação com a União Europeia. A aproximação é defendida pela oposição, que acusa o governo de ceder a pressões russas e considera a Ucrânia uma zona de influência.

"Não pensamos ter o direito de intervir nos assuntos internos da Ucrânia de qualquer forma. É absolutamente inaceitável nos ingerirmos em assuntos internos de outro país", declarou Dmitri Peskov. Segundo ele, a Rússia acredita que as autoridades ucranianas encontrarão a melhor solução para fazer com que a situação no país volte à normalidade e a paz seja reestabelecida.

Nesta quinta-feira, a situação em Kiev está relativamente tranquila, depois da violência observada nos últimos dias, especialmente no domingo. No confronto do final de semana, manifestantes lançaram pedras e coquetéis-molotov contra policiais, que responderam com tiros de bala de borracha e bombas de efeito moral. A situação foi condenada pela União Europeia e pela Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia