Por fim de sequestro de freiras, detentas são libertadas de prisões sírias

153 detentas foram soltas em troca da liberdade de 13 freiras que foram sequestradas por um grupo rebelde sírio, em dezembro de 2013

Por O Dia

Beirute - Um total de 153 detentas em prisões do regime sírio de Bashar Al Assad foram libertadas na madrugada de domingo, no marco do acordo para soltar as 13 freiras sequestradas por um grupo rebelde sírio, informou nesta segunda-feira o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

O diretor desta organização, Rami Abderrahman, disse à Agência Efe por telefone que as presas, em distintas penitenciárias do país, foram postas em liberdade dentro desta troca. Por sua vez, o advogado e ativista de direitos humanos sírio Anwar al Bunni confirmou à Agência Efe que 15 das pessoas liberadas estavam sendo defendidas por ele e que saíram da prisão hoje após comparecer perante um tribunal.

Essas 15 pessoas estavam reclusas na prisão de Adra, ao norte de Damasco, precisou o letrado, que não pôde corroborar se ocorreram mais libertações. Por enquanto, as autoridades sírias não confirmaram se houve libertação das presas incluídas nessa troca.

As 13 freiras, que ficaram sequestradas por quase três meses, foram liberadas ontem à noite por seus sequestradores, que as entregaram às forças de segurança libanesas. Após passar pelo Líbano, as religiosas retornaram na madrugada passada ao território sírio e chegaram hoje a Damasco.

As freiras foram sequestradas em 2 de dezembro no mosteiro de Santa Tecla durante a tomada pelos insurgentes da população de maioria cristã de Malula, ao norte de Damasco. O diretor da Segurança geral libanesa, Abbas Ibrahim, explicou ontem à noite que o acordo alcançado com os sequestradores para pôr fim ao cativeiro das freiras incluía a libertação de 150 presas em centros de detenção sírios.

Últimas de _legado_Mundo e Ciência