Paes comemora sucesso da Copa e não teme possibilidade de confusão hoje

Alvo de piadas e cobranças de todos os tipos pela promessa feita, no ano passado, de se matar em caso de vitória argentina na final da Copa, o prefeito Eduardo Paes está tranquilo

Por O Dia

Rio - Alvo de piadas e cobranças de todos os tipos pela promessa feita, no ano passado, de se matar em caso de vitória argentina na final da Copa, o prefeito Eduardo Paes está tranquilo. Ou aliviado.

Paes diz estar tranquilo no fim da Copa%2C mas admite que hoje é desafioAndré Luiz Mello / Agência O Dia


Após um ano turbulento, com manifestações quase que diárias nas ruas da cidade, o megaevento transcorreu sem problemas, o que está sendo comemorado pelo prefeito. Quanto à promessa, ele lembra, bem-humorado, como se deu.

“Eu disse que me mataria se fosse contra o Brasil. Mas como a gente não se classificou, estou tranquilo”, comementou Eduardo Paes, sem perder o humor. “ Vou assistir ao jogo torcendo pelo bom futebol, para fechar com chave de ouro este grande evento que o Rio mais uma vez se mostrou capaz de sediar”.

O temor das autoridades por um desfecho violento que possa manchar a imagem do Mundial foi rechaçado pelo prefeito. Paes acredita que os cerca de 30 mil agentes de segurança que estarão nas ruas serão capazes de garantir a segurança de torcedores e visitantes.

“Claro que será um desafio, em se tratando da rivalidade que existe no futebol e da grandeza do evento, mas estou tranquilo. Os argentinos são muito bem-vindos, serão bem recebidos, como já têm sido, e tenho certeza de que será uma tarde de celebração, seja lá quem for o campeão”, completou.

Relaxado como há muito não se via, Eduardo Paes lamentou o fim da Copa do Mundo e disse que, por ele, ela seria estendida.

“Só assim a imprensa esqueceu de mim. Meus dias estavam ótimos sem vocês”, brincou o prefeito.

NA TORCIDA

Coração tende pelos vizinhos

Vascaíno, o prefeito não sabe há um bom tempo o que é torcer pelo bom futebol, visto que seu time está mal na Segunda Divisão e a Seleção protagonizou o maior vexame da história na Copa do Mundo.
Na final hoje, sem a presença do Brasil, Paes está dividido. O prefeito do Rio está em dúvida.

“Acho que seria legal a Alemanha vencer porque tem a melhor seleção, o melhor grupo e pode, sim, ser a campeã. Mas acho que também seria muito legal ver a Argentina campeã. Acho que a grande marca da Copa foi a invasão dos torcedores argentinos e a vitória deles fecharia com chave de ouro o evento”, disse Paes.

A rivalidade entre brasileiros e argentinos, para o prefeito, é algo que deve se restringir ao campo de jogo. Fora dele é importante a boa convivência e amizade com nossos vizinhos de continente, defende.

“Acho que essa integração entre os dois países é bom tanto para brasileiros quanto para argentinos. É o maior barato vê-los aqui celebrando o futebol com esta alegria incrível que eles têm. Foi uma Copa inesquecível sob todos os aspectos”, analisou o prefeito Eduardo Paes.

Últimas de Rio De Janeiro