Polícia já identificou bandido envolvido em morte de PM na Zona Oeste

Justiça expediu mandado de prisão e Divisão de Homicídios já pode prender homem que fugiu após tentativa de assalto

Por O Dia

Rio - A Divisão de Homicídios da Capital (DH) já identificou o bandido que conseguiu fugir após a tentativa de assalto que terminou com a morte de seu comparsa e também do sargento da Polícia Militar Marcelo Moraes, ocorrida na manhã desta sexta-feira, em Sulacap, Zona Oeste do Rio. A especializada também já conseguiu na Justiça um mandado de prisão para o mesmo. O corpo do policial foi enterrado nesta manhã no Cemitério Jardim da Saudade, no mesmo bairro onde aconteceu o crime.

LEIA:

'A farda era o amor da vida dele', diz irmã de PM assassinado em Sulacap

PM morto na Baixada Fluminense será sepultado nesta sexta-feira

PM morre e outro fica ferido durante tentativa de assalto em Sulacap

Ao DIA, a irmã do sargento, Márcia Moraes, não escondeu a revolta com trágica morte do PM que estava há 20 anos na corporação. "A farda era o amor da vida dele, ele amava ser policial. Fico revoltada com a morte dele, porque as pessoas estão preocupadas com os bandidos mirins do que com os policiais. Quando morre um policial, as pessoas não dão tanta importância", desabafou.

Marcelo Moraes serviu um período no Batalhão de Operações Especiais (Bope) e, depois de uma cirurgia, foi transferido para o 16ºBPM (Olaria) onde estava atualmente. Segundo a irmã, o sargento já poderia ter se aposentado, mas não o fez por amor à Polícia Militar.

Dois policiais militares baleados na Vila Cruzeiro

Dois policiais militares lotados na UPP Vila Cruzeiro foram baleados na noite desta sexta-feira quando faziam patrulhamento na comunidade. Segundo as informações de policiais da unidade, eles foram alvejados por bandiddos que estavam em uma laje. Um PM , identificado incialmente como Batista, foi levado para o Hospital Estadual Getúlio Vargas. O outro, identificado como R. Silva, foi atingido de raspão e levado de volta para a base da UPP, onde foi feito curativo. Segundo agentes da UPP, eles passam bem.

Últimas de Rio De Janeiro