Informe: PP quer ampliar o número de secretarias que ocupa no governo Pezão

Partido do vice-governador está de olho na de Agricultura e Pecuária, vaga desde que Christino Áureo migrou para a Casa Civil

Por O Dia

Rio - O PP, do vice-governador Francisco Dornelles, quer ampliar o número de secretarias que ocupa no governo Pezão. Está de olho na de Agricultura e Pecuária, vaga desde que Christino Áureo (PP) migrou para a Casa Civil. O partido, que tem quatro deputados na Assembleia Legislativa, tenta obter o apoio de mais quatro — do PMDB e da oposição — para criar um bloco informal e pleitear a nomeação de Jair Bittencourt (PP) para a pasta. A articulação tem o aval do presidente da Alerj, Jorge Picciani (PMDB).

Ocorre que o PDT, dono da segunda maior bancada da Casa, com sete deputados, também cobiça a Secretaria de Agricultura e Pecuária. Às vésperas da votação do repaginado pacote de austeridade na Alerj — agora com contrapartida financeira do governo federal —, Pezão terá que rebolar para agradar a gregos e troianos.

Com licença

A nomeação de Thiago Pampolha (PDT) para a Secretaria de Esporte e Lazer, antecipada pelo Informe na última sexta e publicada no Diário Oficial de ontem, em nada muda a relação do partido com o governo. Pampolha é apontado como indicação pessoal do ex-secretário Marco Antônio Cabral (PMDB) e terá, inclusive, que se licenciar do PDT. 

Alternativa

Para a bancada do PDT na Alerj, Pezão ofereceu a Secretaria de Ciência e Tecnologia, hoje comandada por Gustavo Tutuca (PMDB). Uma espécie de prêmio de consolação que não agradou. Pedetistas dizem que seria difícil fazer uma boa gestão à frente da pasta na atual situação financeira.

Recusa

Já Jorge Felippe Neto (DEM) recusou a Secretaria de Trabalho e Renda. “Fui eleito para ser deputado, não secretário”, diz.

Mais espaço

O DEM, que integra a base do governo, deve indicar agora Deodalto para o cargo. E pleiteia ainda uma secretaria mais robusta que a de Trabalho e Renda.

Preocupação

Centenas de pessoas que começaram a trabalhar informalmente para a prefeitura na gestão de Crivella estão preocupadas. Como ainda não foram nomeadas no Diário Oficial, temem não receber o salário de janeiro. A prefeitura diz que a folha de pagamento será fechada depois de amanhã, mas que há possibilidade de gerar folhas suplementares.

Solução

A prefeitura afirma que pode nomear funcionários de forma retroativa até o dia 30 deste mês. Ou seja, são esperadas centenas de nomeações nas próximas semanas.

Últimas de Rio De Janeiro