Tragédia que se repete: 37 crianças mortas de forma violenta desde 2007

Menina de 11 anos morre baleada na cabeça, em casa, durante tiroteio no Lins

Por O Dia

Rio - Uma tragédia atrás da outra envolvendo crianças. Um tiro na cabeça apagou o sorriso de Vanessa dos Santos, de 10 anos, na Favela Boca do Mato, no Complexo do Lins. Havia um confronto na comunidade e a menina foi atingida em casa. Chegou morta ao Hospital Salgado Filho, no Méier. A população do Rio de Janeiro ainda nem se refez do choque do menino Arthur, baleado no útero materno, e já chora pelo horror de mais uma criança assassinada.

Regineide socorreu a afilhada Vanessa%2C que não resistiu. Na blusa%2C o sangue da meninaDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

O subcomandante da UPP Camarista Méier, tenente Marco Luiz, ferido no ombro durante o tiroteio, foi operado e passa bem. A comunidade se revoltou com a tragédia. Desceu o morro e ateou fogo em lixo e objetos, fechando a Rua Maranhão. Ao saber da morte de Vanessa no trabalho, a mãe da criança, Adriana Maria dos Santos, passou mal, junto com uma tia, e precisou ser socorrida em cadeiras de roda. “Minha filha estava botando o chinelo para sair e foi morta. Não tem bandido na minha casa. A comunidade é um lugar tranquilo”, contou Adriana.

A menina foi socorrida pela madrinha, que se identificou só como Regineide. Segundo ela, que estava com a roupa suja do sangue da afilhada, policiais entraram na casa após a criança chegar da escola e trocar a roupa. “Foi aí que ouvi os tiros. Me joguei em um valão. Quando saí, vi minha afilhada baleada. Fiz um escândalo, gritei para os policiais que eles é que mataram.”

O pai da vítima, Leandro Monteiro de Matos, que vestia camisa com a foto dela, disse abalado: “espero que quem fez se arrependa e pague por isso”. Maria Socorro dos Santos, a avó da estudante disse que ela era estudiosa: “Era uma boa menina. Gostava de estudar. Estava respirando até chegar no hospital”, lamentou. Há cinco anos, ela passou por experiência tão dolorosa quanto à de ontem: perdeu um filho baleado na cabeça na mesma comunidade.

Adriana%2C a mãe%2C estava desolada. A menina foi baleada logo depois de chegar da escolaDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

O irmão de Vanessa, Ygor dos Santos, disse que a família está indignada. “Ninguém tinha ouvido falar de operação, a polícia chegou atirando. E eu vi minha irmã caindo no chão na hora”, disse, desolado.

De acordo com o comando da UPP, policiais em patrulhamento foram atacados a tiros por criminosos, iniciando o confronto, no sub-bairro Boca do Mato, ao final da Rua Aquidabã.

Moradores relataram ter ouvido disparos desde as 16h e visto trânsito intenso de viaturas de polícia, bombeiros, ambulância e o caveirão branco. Em nota, a UPP informou que o Batalhão de Polícia de Choque e outras UPPs da região reforçaram o policiamento no local.

Pai de Vanessa%2C Leandro vestiu camisa com a foto da filhaDaniel Castelo Branco / Agência O Dia

Arthur ainda está em estado grave

Após dar sinais de melhora em sua recuperação, Claudinéia dos Santos Melo, 28 anos, prestou depoimento ontem sobre o que aconteceu na sexta-feira, quando foi baleada a caminho de casa e teve o filho atingido em seu útero, na Favela do Lixão, em Duque de Caxias.

A delegada Raissa Celles, titular da 59ª DP (Caxias), esteve no Hospital Moacyr do Carmo na tarde de ontem e conversou por uma hora e meia com Claudinéia. A delegada não revelou o teor da conversa.

Antes de ser interrogada, Claudinéia recebeu visitas. O cunhado e um amigo estiveram no hospital e se sentiram mais aliviados de ver como a paciente estava bem. “Fiquei feliz. Tenho certeza que em breve ela estará em casa”, disse o amigo, que se identificou como Moura.

Klebson da Silva, marido de Claudineia passou a tarde entre os hospitais Moacyr do Carmo e o de Saracuruna, onde está o filho. “O Arthur continua em estado grave”, disse.

2007

1. ALANA, 12 anos.
5 de março

2. HUGO RONCA CAVALCANTI, 12 anos.
8 de dezembro

3. FABIANA, 11 anos.
15 de novembro

2008

4. RAMON, 6 anos
30 de junho

5. JOÃO ROBERTO, 3 anos
6 de julho

2010

6. WESLEY, 11 anos
19 de julho

2011

7. JUAN, 11 anos
20 de junho

8. JULIANA RODRIGUES, 6 anos
setembro de 2011

2012

9. BRUNA, 10 anos.
27 de julho

10. YASMIN DE MOURA CAMILO, 4 anos.
19 agosto

2013

11. ADRIELLY DOS SANTOS, 10 anos
24 de dezembro

2014

12. LUCAS FARIAS CANUTO, 13 anos
15 de junho

13. LUÍS FELIPE RANGEL BENTO, 3 anos
25 de junho

2015

14. PATRICK FERREIRA DE QUEIROZ, 12 anos
15 de janeiro

15. LARISSA DE CARVALHO, 4 anos
17 de janeiro

16. ASAFE WILLIAM COSTA DE IBRAHIM, 9 anos
18 de janeiro

17. EDUARDO DE JESUS FERREIRA, 10 anos
2 de abril

18. CHRISTIAN SOARES ANDRADE, 13 anos
8 de setembro

19. HERINALDO VINÍCIUS DE SANTANA, 11 anos
23 de setembro

20. RUAN BRUNO GOMES NUNES, 2 anos
12 de dezembro

2016

21. TAÍS DE SOUZA SANTOS, 13 anos.
5 de janeiro

22. ANA BEATRIZ DUARTE DE SÁ, 5 anos
6 de março

23. CAIO DANIEL FARIA, 14 anos
10 de março

24. JOÃO VITOR COSTA, 14 anos
12 de março

25. RYAN GABRIEL, 4 anos
28 de março

26. MATHEUS SANTOS DE MORAIS, 5 anos
4 de abril

27. KAMYLLI COUTINHO DOS SANTOS, 12 anos
21 de abril

28. MIRIAM MARTINS DOS SANTOS, 14 anos
12 de maio

29. JUAN RODRIGUES MORALES BENITEZ, 1 ano
16 de maio

30. SHAYENE SANTOS, 14 anos
22 de julho

2017

31. SOFIA LARA BRAGA, 2 anos
21 de janeiro

32. FERNANDA ADRIANA C. PINHEIRO. 7 anos
15 de fevereiro

33. MARIA EDUARDA A. DA CONCEIÇÃO. 13 anos.
30 de março

34. PAULO HENRIQUE DE OLIVEIRA, 13 anos
25 de abril

Crianças cujas mortes não
foram por bala perdida:

35 - Geovanna Vitória de Barros, 1 ano.
18 de janeiro de 2013:
Tentativa de assalto em Belford Roxo, na Baixada Fluminense

36 - Ana Clara Quintanilha, 2 anos e 7 meses. Em 7 agosto de 2016
Perseguição policial em Bangu, na Zona Oeste do Rio. Durante a perseguição, o carro que estava sendo perseguido perdeu o controle e bateu no carro da família. Com o impacto da batida, a menina, que estava no colo da mãe, bateu a cabeça.

Com os estagiários Nadedja Calado e Matheus Ambrósio. Colaborou Paola Lucas

Últimas de Rio De Janeiro