Roubo de cargas aumentam na Baixada

Em 2016 índice subiu 43% nas proximidades de Caxias. Prejuízo passa de R$ 136 milhões

Por O Dia

Duque de Caxias - Os roubos de carga se tornaram uma das principais fontes de renda dos criminosos. Desde 2011, o número de ocorrências no estado do Rio triplicou, chegando a 9.870 casos registrados em 2016. Segundo levantamento da Firjan, no ano passado, nos municípios próximos a Duque de Caxias o roubo de cargas aumentou 43,3%, em relação a 2015.

Os prejuízos ultrapassaram R$ 136 milhões, o equivalente a R$ 374 mil por dia. Foram 2.168 casos, o que daria uma média de um roubo a cada 4 horas. Duque de Caxias e os municípios próximos respondem por 22% das ocorrências no estado.

Segundo o Sistema Firjan, o levantamento mostra que, em 2016, sete unidades policiais registraram aumento desse tipo de crime em relação a 2015. Em Campos Elíseos, o crescimento foi de 122%. “Mais de 88% dos casos concentram-se em quatro delegacias: Duque de Caxias, Vilar dos Teles, Belford Roxo e Campos Elíseos”, explicou o gerente de Estudos de Infraestrutura da Federação, Riley Rodrigues. Desde 2011, o roubo de cargas na região cresceu 220%.

Nesse período, Guapimirim registrou aumento de 2.600% e Imbariê 1.200%. O prejuízo causado entre 2011 e 2016 alcançou R$ 451,3 milhões. “É preciso melhorar com urgência o policiamento no estado do Rio de Janeiro para coibir este crime”, ressaltou Roberto Leverone, presidente da Regional Baixada da Firjan.

Em menos de dois anos o caminhoneiro João Coelho, 53, já sofreu cinco assaltos, a maioria na Washington Luiz e na Dutra. “ Levaram o caminhão, a carga, tudo. É uma sensação horrível, tive muito medo”. Por meio de nota, a Polícia Militar disse que iniciou em março de 2016 a operação ‘Mercadoria Legal’, realizadas em horários em que há maior incidência de roubos de cargas.

A Polícia Rodoviária Federal informou que desde dezembro reforçou a fiscalização na Baixada Fluminense e na Região Metropolitana. Já a Polícia Civil disse que as delegacias têm desenvolvido trabalhado para identificar e prender os criminosos.

Últimas de Rio De Janeiro