Segundo autoridades, turistas estavam em uma área restrita, mas guias de turismo alegam que tinham permissão da polícia

Por O Dia

Egito - O Ministério do Interior do Egito confirmou nesta terça-feira a morte de oito mexicanos no ataque das forças de segurança contra um grupo de turistas no deserto ocidental, que deixou 12 mortos neste domingo. O porta-voz do Interior, Ayman Helmi, explicou ainda que entre os nove feridos há sete cidadãos mexicanos.

Os feridos estão internados no hospital de Dar Al Fouad , nos arredores do Cairo, e eles estão "estáveis, fora de perigo", confirmou o porta-voz de Relações Exteriores, Amhed Abu Zeid, e um responsável do centro médico. O governo mexicano ainda não confirmou estes dados.

Gabriela Bejarano%2C irmã de Rafael Bejarano%2C um dos oito mexicanos mortos em incidente no EgitoReuters

Fontes próximas às vítimas egípcias disseram que dois dos mexicanos morreram quando eram transferidos desde o deserto ocidental ao Cairo. Os mexicanos faziam parte de um grupo que foi atacado pelas forças de segurança do Egito, que confundiram os turistas com "elementos terroristas" no deserto ocidental.

O Ministério do Interior do Egito informou que os turistas foram atacados "por engano" e que estavam em uma área restrita, embora a companhia organizadora da viagem alegue que tinha permissão da polícia turística.

A chancelaria mexicana e os guias turísticas egípcios afirmaram que o grupo foi bombardeado por um helicóptero militar, o que confirmou o testemunho de alguns sobreviventes. A chanceler mexicana, Claudia Ruiz Massieu, viajpou para o Egito para se reunir com as autoridades do país para receber esclarecimentos e dar apoio aos feridos e aos familiares das vítimas.

Últimas de _legado_Notícia