Pezão é denunciado por Janot

STJ decide se abre inquérito baseado em delações da Odebrecht

Por O Dia

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu ao Superior Tribunal de Justiça (STJ) que abra um inquérito para investigar o governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB). Caberá agora ao ministro Luis Felipe Salomão decidir se atende ou não ao pedido de Janot.

Segundo a agência Estadão Conteúdo, o pedido de investigação formulado pelo procurador-geral da República tem como base delações premiadas de ex-executivos da Odebrecht. O mandato de Janot termina dia 17.

No acordo de delação premiada firmado com a Procuradoria-Geral da República (PGR), o ex-executivo da Odebrecht Benedicto Barbosa Júnior, o BJ, disse que o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) negociou com a empreiteira mais de R$ 20 milhões, via caixa dois, para a campanha de Pezão ao governo do Rio em 2014. De acordo com BJ, o montante faz parte do total de R$ 120 milhões que a empresa teria repassado ilegalmente a Cabral e a Pezão desde 2006.

Procurada, a assessoria de Pezão informou que "não é verdade que delatores da Odebrecht tenham relatado que o governador recebeu propina pessoalmente e em contas no exterior". Ainda segundo a assessoria, os delatores afirmaram que nunca trataram disso com o governador. Pezão reafirma que "nunca recebeu recursos ilícitos e jamais teve conta no exterior" e que as "doações de campanha foram feitas de acordo com a Justiça Eleitoral".

Pezão já é alvo de outro inquérito no STJ em que a Procuradoria pediu arquivamento, mas a Corte ainda não deu uma decisão final.

Últimas de Rio De Janeiro