DOIS DEDOS DE PROSA

Por O Dia

EDNA GOMES, roteirista e escritora

A coluna também teve dois dedinhos de prosa com Edna Gomes, roteirista do documentário sobre João de Deus.

É seu primeiro roteiro?

Sim, meu primeiro trabalho no cinema. Sou jornalista, tenho coluna no jornal 'Diário da Manhã' e na revista 'Stile', em Goiânia. Assim que Candé começou a filmar em Abadiânia, ele me perguntou se poderia escrever uma matéria sobre o ator Pablo Morais e que teria apenas quinze minutos. Entreguei de imediato e ele me perguntou: "Você quer ser minha roteirista"? Respondi: "Claro que sim"! Foram cinco anos viajando na lente do diretor.

Como surgiu essa relação tão próxima com João de Deus?

João de Deus é um homem enigmático, forte e que não mede para falar a verdade. Percebi que para trabalhar como sua assessora de imprensa, teria que entendê-lo e mergulhei nos livros sobre mediunidade. Certo dia, a entidade me chamou para ficar ao seu lado e me disse: 'Enquanto na Terra existir um único irmão em dor e sofrimento, eu solicito a devida permissão de continuar meu trabalho, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo'. Aquelas palavras me tocaram muito e percebi que aquele homem era um gigante repleto de amor. Construímos uma relação de admiração, respeito e amizade.

O que você mais admira nele?

Determinação diante da vida.

Como foi trabalhar com o Candé?

Foi uma escola! Ele trabalha em silêncio e foi difícil no início. Como era ele que filmava, eu comecei a perceber a poesia de seu trabalho. Como foi bonito fazer parte deste projeto com o Candé, como isto elevou as nossas almas!

Conte uma novidade?

Estou escrevendo 'O Silêncio É Uma Resposta' pela Editora Leya.

Comentários

Últimas de Diversão