Prisão temporária decretada

Suspeito estaria alterado quando se entregou; caso é tratado como feminicídio

Por PALOMA SAVEDRA

A Justiça do Rio decretou, no fim da tarde de ontem, a prisão temporária do advogado Sérgio Henrique Villela Fialho, de 45 anos. Ele é suspeito de matar a ex-namorada, Ginderly dos Santos, de 37, na madrugada do último sábado, em um bar no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste. A decisão do plantão judiciário ocorreu após o advogado ter se apresentado, na manhã deste domingo, na 42ª DP (Recreio) e depois ser levado para a Delegacia de Homicídios da Capital (DH).

De acordo com fontes, Sérgio Fialho confessou o crime à polícia e alegou que, antes de atirar em Ginderly, havia sido ameaçado por ela, sugerindo ter agido em "legítima defesa". Ainda segundo as informações, ele estava visivelmente alterado quando se apresentou na delegacia e chegou a admitir que estava sob efeito de entorpecentes. Ele também teria dito que consumiu drogas no dia em que praticou o crime no bar.

Testemunhas relataram, em depoimentos, que a vítima chegou ao bar antes do ex-namorado. Em seguida, o advogado apareceu com uma mulher. Ginderly teria ido tirar satisfação com o advogado e os dois discutiram, chegando a chamar a atenção de outros clientes. Depois, Sergio saiu do bar para buscar uma arma. Ao retornar ao local, atirou na vítima.

Nas duas delegacias, ele afirmou que a mulher que o acompanhava no bar era sua ex-esposa com quem "ficou por 28 anos". Disse ainda que teve um namoro com Ginderly e que ela queria casar e ele não, motivando atritos entre eles. A vítima foi enterrada ontem, no Catumbi. Nas redes sociais, amigos prestaram homenagens à Ginderly.

Comentários

Últimas de Rio De Janeiro