Absolvição de Guerrero é hipótese muito improvável

Presidente do Tribunal de Justiça Antidopagem diz que situação do peruano só vai mudar se contraprova desmentir o resultado inicial ou se houve erro no manuseio

Por Vitor Machado

Resultado da contraprova do exame de Paolo Guerrero pode ser anunciado hoje: situação do atacante é difícil
Resultado da contraprova do exame de Paolo Guerrero pode ser anunciado hoje: situação do atacante é difícil - Gilvan de Souza / Flamengo

A absolvição de Paolo Guerrero, sonho dos peruanos e da torcida do Flamengo, é improvável, mas o atacante pode conseguir uma redução de pena e voltar a tempo de, por exemplo, disputar a Copa do Mundo. A análise é do presidente do Tribunal de Justiça Desportiva Antidopagem, Luciano Hostins. De acordo com ele, o atacante só estará livre de qualquer pena se a contraprova desmentir o resultado analítico adverso, ou se for comprovado algum vício no processo, como a violação do lacre das amostras.

"Estamos trabalhando com hipóteses. Mas é difícil. Como ele vai comprovar que tomou o chá? Acaba sendo responsabilizado. Absolvição só existe se anular o resultado analítico adverso. Quando tem um resultado analítico adverso, já é um caso de doping. O que você vai discutir é o grau de responsabilidade do atleta", disse Hostins, no Ministério do Esporte, durante o Encontro Nacional de Editores, Colunistas, Repórteres e Blogueiros (Enecob), realizado ontem e quarta-feira, em Brasília.

"Ele pode ter todas as provas de que tomou o chá, mas é responsável pelo que está no organismo dele. Talvez baixe a pena, mas também pode ficar do mesmo jeito (quatro anos). Muitas vezes as teses são boas, mas há fragilidade na prova", completou Hostins.

A contraprova foi aberta ontem, num laboratório em Colônia, na Alemanha. O resultado pode demorar até cinco dias, mas há a expectativa de que se tenha um parecer hoje. De acordo com Hostins, são "raríssimos" os casos em que a abertura do pote B obtenha conclusão divergente.

A defesa de Guerrero aposta na narrativa do chá contaminado. Ontem, os advogados enviaram à Fifa um pedido para interromper a suspensão provisória de 30 dias. Há a esperança de, se a solicitação for acatada, o jogador voltar a tempo de disputar a segunda partida da repescagem das Eliminatórias, contra a Nova Zelândia, dia 16, no Peru.

Mesmo que a atual suspensão seja mantida, Guerrero tem, além do amor pela seleção, motivos para torcer muito pela classificação peruana. Se no julgamento a Fifa aceitar a narrativa do chá, o que atenuaria a responsabilidade dele, pode pegar uma pena que permita seu retorno a tempo de disputar a Copa da Rússia.

"Pode ter até apenas uma advertência, pegar um mês, dois meses de suspensão. Se comprovar a tese do chá, vai ter redução. Mas o quanto vai reduzir é muito difícil dizer. Depende de como vai demonstrar isso", afirmou Hostins, que complementou: "(Absolvição) Seria algo muito brando. Deve cumprir algum prazo."

Comentários

Últimas de Esporte