Busca por excelência na gestão é desafio na Comlurb

Por Rubens Teixeira Presidente da Comlurb

Rubens Teixeira, presidente da Comlurb
Rubens Teixeira, presidente da Comlurb - Divulgação

O prefeito Marcelo Crivella me proporcionou uma grande alegria ao me nomear para presidir a Comlurb, empresa que tem o reconhecimento da sociedade pelos ótimos serviços prestados, notadamente pelo trabalho dos nossos garis. É a maior organização de limpeza pública da América Latina. Ainda como secretário de Conservação e Meio Ambiente, participei de evento na sede da Comlurb, no Dia do Gari, e falei que gostaria de um dia usar seu uniforme, pois melhoraria o meu prestígio. Menos de cinco meses depois, o prefeito me deu assento no comando da companhia e mantenho, orgulhoso, em minha sala, a peça laranja. No site da empresa apareço uniformizado.

Não sou presidente da Comlurb; estou presidente da Comlurb até que o prefeito assim determine. Na verdade, sou o 'gari 001'. Mas, enquanto estiver à frente dessa prestigiada empresa, farei todos os esforços para melhorar ainda mais sua respeitabilidade perante a sociedade, buscando a cada dia mais excelência na gestão. Nada funciona tão bem que não possa melhorar; esse é o desafio que vai me acompanhar a cada alvorecer.

Na minha vida, sempre fui movido a desafios; sempre desafiei a ordem natural das coisas, desde criança; afinal, como poderia um garoto que vivia em condições insalubres, com ratos pela casa, tornar-se gestor público, ter frequentado cursos de altíssimo nível, como a Academia Militar das Agulhas Negras e o Instituto Militar de Engenharia, ser funcionário de carreira do Banco Central, ter livros lançados em mais de uma dezena de países, ter sido diretor financeiro e administrativo da Transpetro por sete anos e estar agora à disposição da Prefeitura do Rio? Mesmo depois de ser chamado de semi-idiota por um professor no Ensino Médio. Só com a ajuda de Deus e da família e muito esforço.

Ao contrário da Secretaria de Conservação e Meio Ambiente, em que, em alguns casos, precisamos montar a estrutura do zero, estamos fazendo um trabalho pouco diferente de gestão na Comlurb, onde encontramos uma empresa organizada e que funciona bem.

Estamos fazendo pequenos ajustes, otimizando recursos e buscando meios de aumentar a arrecadação. Mas estamos trabalhando para tornar a marca cada dia mais amada pelo carioca. Afinal, conformismo e comodismo são palavras riscadas do dicionário da minha vida.

Temos muito trabalho pela frente. Além dos programas tradicionais, que estão funcionando, estamos lançando oficialmente o 'Coletas Online"' em que o contratante das caçambas das empresas cadastradas pela Comlurb pode acompanhar em tempo real a destinação final e correta dos resíduos oriundos da construção civil, obras comerciais e residenciais. Outro tema que merece atenção é a necessidade de ajustes no Gari Comunitário, que estão em fase de avaliação.

Nas próximas semanas, faremos o lançamento de mais uma edição do Praia Limpa, de intensificação de limpeza nos meses mais quentes, com permanentes ações de sensibilização dos banhistas; seremos protagonistas no Plano Verão, de combate às chuvas da estação, e colocaremos em funcionamento a unidade de biometização, que vai produzir gás a partir da compostagem do lixo orgânico.

São apenas 30 dias com muitas horas de trabalho, incluindo fins de semana à frente da Comlurb; trabalho não falta. Independentemente do tempo que ficarei aqui, dedicarei 16 a 18 horas todos os dias a pensar estrategicamente a companhia, a zelar pelas boas práticas e buscar a excelência na gestão, comoa implacável meta de atingir a marca zero em relação a acidentes de trabalho na empresa. Vou fiscalizar pessoalmente o trabalho de nossas equipes pelas ruas, inclusive na madrugada. Coragem, determinação e empenho não faltarão.

Comentários

Últimas de Opinião