coração de pedra

Marieta Severo diz que Sophia é um retrato de nossa época, de ganância e consumismo, dispara contra qualquer tipo de preconceito e lamenta o momento político desastroso e a crise que afeta o país

Por gabriel sobreira

Rede geométrica verde
Rede geométrica verde - reprodução

Na TV, Sophia (Marieta Severo) é o terror de qualquer nora. Que o diga Clara (Bianca Bin), que sofreu e vai sofrer muito ainda nas mãos da sogra cínica, preconceituosa e mau-caráter, em 'O Outro Lado do Paraíso'. Na vida real, a atriz, que é mãe de Sílvia, Luísa e Helena - do seu casamento com o cantor e compositor Chico Buarque -, afirma ser exatamente o oposto de sua personagem. "Sou uma sogra bacana. Tenho genros, não noras. Amo os meus genros. Não tive filhos, então quando os genros chegam, eles são muito bem-vindos. Trazem uma coisa completamente nova", derrete-se Marieta, aos 71 anos.

DINHEIRO

Para a atriz, tudo que a sua personagem faz é em função do dinheiro. Sophia representa um retrato da nossa época, o que Marieta acha assustador. "Lido de maneira saudável com o meu dinheiro. O que eu tenho é suor do meu próprio rosto. Ganhei trabalhando. Me dei bem na minha profissão. Sou bem-sucedida. Vivo bem. Mas é tudo fruto do meu trabalho. Tenho grande orgulho disso", enfatiza a artista, com 52 anos de carreira. "Vivemos um momento muito ganancioso, consumista, em que o dinheiro tem um poder absurdo", completa.

Avessa às redes sociais - ela não possui Facebook, nem Instagram -, Marieta não tem tido muito tempo para conferir a repercussão da inescrupulosa vilã porque sai de casa direto para os Estúdios Globo e volta à noite. "São os amigos e familiares que me atualizam", entrega, aos risos.

A única coisa que tira o sorriso da veterana é o fato de o preconceito destilado por sua personagem ainda estar em voga. "Acho péssimo como qualquer discriminação, principalmente para quem sofre", desabafa.

OFENSAS

A intérprete lembra que, na preparação com Eduardo Milevicz, não foi fácil dizer, como Sophia, todas as barbaridades para Juliana Caldas, a Estela da novela. "(As cenas) foram muito dolorosas e intensas. Realmente, saímos exaustas em função da forte carga dramática e das palavras ditas. Fiquei mal. Mas não costumo levar personagem para casa. Ao término das cenas, já consigo me libertar daquilo. Senão, seria péssimo", explica.

CRISE

Outro momento que entristece a atriz é a crise que afeta o país e também a cultura, em especial os teatros. Marieta é sócia da também atriz Andréa Beltrão nos teatros Poeira e Poeirinha, ambos em Botafogo. "O teatro está sofrendo muito. O Poeira está se equilibrando. Vive basicamente nesses 12 anos de mim e da Andréa. Ele se mantém financeiramente porque a gente mantém. Botamos grana todo mês, há 12 anos. Ele vive disso, mas é um teatro deficitário. Ele dá uma alegria, um prazer, uma recompensa não financeira incomensurável, enorme. Mas também nessa crise agora está sofrendo. Tem um público menor. Acho que todos os setores", lamenta.

A carioca conta que nas suas sete décadas de vida jamais pensou viver um momento tão triste e desastroso na política. "Vivemos um momento delicado. Antes de pensar em 2018, eu adoraria saber que agora temos alguma luz, uma maneira de sentir que existe qualquer vislumbre de espírito público. Adoraria que nossos poderes, instituições, não pensassem em causa própria o tempo inteiro, que é o que estamos vendo", torce.

PRISÃO

A partir do dia 30, na trama de Walcyr Carrasco, Clara denunciará a megera por péssimas condições oferecidas no garimpo que a madame explora. Os fiscais e policiais ficarão perplexos com o regime de trabalho e interditam a mina. Sophia ofende a juíza Raquel (Erika Januza) e o delegado Bruno (Caio Paduan) e recebe voz de prisão. Ela é algemada na frente de seus funcionários e colocada no carro da polícia. Clara achará graça ao ver a rival ser levada, e Sophia promete vingança. "As atitudes e o sentimento de impunidade que ela possui movem suas atitudes e planos", afirma a atriz.

PROSTITUIÇÃO E MORTE

Pouco tempo depois, Laerte (Raphael Vianna) descobre que a socialite foi uma das prostitutas do bordel de Caetana (Laura Cardoso) e que assassinou um dos seus clientes, Agenor (ator não escalado), e fugiu depois do crime. Ao ter seu segredo descoberto, Sophia será chantageada pelo segurança, que ameaça revelar tudo para a alta sociedade de Palmas. Sophia não pensa duas vezes e o acerta com uma tesoura. "Não acredito que a Sophia tem salvação, não. Por tudo o que fez e faz, ela não tem redenção", decreta a intérprete.

Galeria de Fotos

Sophia (Marieta Severo) Raquel Cunha/TV Globo
Clara (Bianca Bin) e Sophia (Marieta Severo) Raquel Cunha/TV Globo
Sophia (Marieta Severo), Gael (Sergio Guizé) e Livia (Grazi Massafera) Raquel Cunha/TV Globo
Marieta Severo (Sophia) e Juliana Caldas (Estela) Raquel Cunha/TV Globo
Complicado O tal "beijo técnico" na televisão ainda é uma situação que provoca desconforto quando solicitado inclusive a atores mais experientes. Isso foi percebido, segunda-feira, nas cenas da Marieta Severo com Juliano Cazarré em "O Outro Lado do Paraíso". Enquanto ele se desdobrava para parecer convincente, Marieta se mostrava pouco à vontade com o "roteiro" de pegação. (Cazarré e Marieta / Crédito Globo/João Miguel Júnior) Globo/João Miguel Júnior

Comentários

Últimas de Diversão