Grêmio luta muito, mas CR7 faz a festa

Com gol do craque português, em cobrança de falta, Real Madrid vence por 1 a 0, impede o bi da equipe gaúcha e fatura o hexa

Por O Dia

Com a taça nas mãos de Sergio Ramos, jogadores do Real Madrid fazem a festa de mais um título do Mundial de Clubes: fome de conquistas
Com a taça nas mãos de Sergio Ramos, jogadores do Real Madrid fazem a festa de mais um título do Mundial de Clubes: fome de conquistas - AFP

O Grêmio foi valente e lutou. Lutou muito. Se dedicou na marcação, diminuiu os espaços e só perdeu a final do Mundial de Clubes para o poderoso Real Madrid, ontem, em Abu Dhabi, em jogada de bola parada. O sonho do bi acabou na falta batida por Cristiano Ronaldo, aos sete minutos do segundo tempo, quando a barreira abriu, a bola passou entre Barrios e Luan, e 'matou' Marcelo Grohe.

Mas, ao longo dos 90 minutos, faltou ao time brasileiro perceber que só lutar não bastava. Para tentar diminuir a imensa superioridade técnica do time espanhol, era preciso jogar futebol, criar jogadas ofensivas e chutar a gol, o que o Grêmio quase não fez teve apenas uma finalização à meta de Navas, em falta batida por Edilson, no primeiro tempo, quando o time espanhol também pouco criou.

É bem verdade que o domínio da equipe de Zidane, sua segurança tática, criaram dificuldades para o time comandado por Renato Gaúcho. Mas o treinador do Grêmio, obcecado em não perder, parece ter se esquecido de como jogar para vencer CR7 & Cia. O Real Madrid achou o gol, aos 7 minutos do segundo tempo, e o Grêmio, passivo diante do gigantismo adversário, deixou de mostrar outras armas, além da eficiência defensiva.

Modric, aos 19, ainda acertou a trave de Grohe, em chute de fora da área. Inofensivo no ataque, o Grêmio permitiu que a partida ficasse à feição do Real Madrid, que jogou sem ser pressionado até o apito final e ainda obrigou Grohe a fazer duas belas defesas, em chutes de CR7 e Bale.

O Real Madrid chegou ao hexacampeão mundial de forma merecida. Méritos que o Grêmio também teve, com sua valentia, mas faltou perceber que, para bater os espanhóis e erguer a taça, só isso não basta.

Galeria de Fotos

Real Madrid's Portuguese forward Ronaldo (L) curls the ball over the Gremio wall to score from a free-kick during their FIFA Club World Cup 2017 final football match at Zayed Sports City Stadium in the Emirati capital Abu Dhabi on December 16, 2017. / AFP PHOTO / Giuseppe CACACE Caption AFP
Com a taça nas mãos de Sergio Ramos, jogadores do Real Madrid fazem a festa de mais um título do Mundial de Clubes: fome de conquistas AFP

Comentários

Últimas de Esporte