Rafael Braga estaria esperando passageiro acionar o aplicativo
Rafael Braga estaria esperando passageiro acionar o aplicativoREPRODUÇÃO DO FACEBOOK
Por JONATHAN FERREIRA
Um motorista do aplicativo Uber foi morto ontem de manhã durante um arrastão na Avenida Brasil, no trecho de Fazenda Botafogo. A vítima, identificada como Rafael da Silva Braga, de 28 anos, trabalhava como técnico de manutenção em uma rede de supermercados e estava há cinco meses com trabalho extra de motorista para complementar a renda familiar. Segundo a sua ex-mulher, Paula Fernandes Alves, no momento em que foi baleado, Rafael estaria esperando algum passageiro acionar o aplicativo.
"Ele era uma pessoa muito tranquila, não tinha nenhum vício. O único vício dele era o de trabalhar demais para dar tudo do bom e do melhor para a nossa filha", ressaltou Paula, que é mãe de uma menina de apenas oito meses.
Publicidade
Ela lembrou que recebeu a última mensagem dele, no celular, por volta de meia noite."A mensagem dizia que eu suportaria viver sem ele. Parecia que ele estava se despedindo", comentou.
A ex-mulher esteve ontem no Instituto Médico Legal (IML), no Centro, junto com os pais e os irmãos da vítima para liberar o corpo. Ela comentou que Rafael reclamava com frequência da insegurança na Avenida Brasil e que havia prometido que deixaria de trabalhar no período noturno. Rafael morava com os pais em Paciência, na Zona Oeste.
Publicidade
"Acreditamos que ele tenha sido vítima de bala perdida, pois o celular, a carteira e o dinheiro que ele ganhou trabalhando estava dentro do carro", comentou.
A PM informou que o Batalhão de Policiamento em Vias Expressas (BPVE) foi acionado, por volta das 6h, e ao chegar próximo à comunidade do Chaves, onde ocorreu o arrastão, encontrou a pista fechada, dois veículos abandonados e motoristas voltando pela contramão. Ao perceberem a presença dos PMs, os assaltantes fugiram.
Publicidade
Em seguida, os policiais encontraram Rafael morto dentro de seu carro. A Delegacia de Homicídios da Capital (DH) abriu inquérito para apurar o caso, que foi registrado como latrocínio, roubo seguido de morte. Os investigadores buscam informações para identificar os autores do crime.