Morre o 128º PM assassinado no Rio

Por

O fim de semana foi marcado por dois arrastões (um no sábado e outro ontem) que interditaram as pistas, no trecho de Fazenda Botafogo, e a morte de um motorista e também de um PM na Avenida Brasil, só que no bairro da Penha. O policial militar que morreu ontem à tarde era lotado no Bope. Ele identificado apenas como Éder e teria reagido a um assalto. O crime ocorreu na altura do Parque Proletário. Éder é o 128º PM assassinado este ano no Rio.

A vítima teria sido abordada por bandidos armados em uma moto, que dispararam contra ela. Éder chegou a ser socorrido por militares da UPP Parque Proletário e levado ao Hospital Getúlio Vargas, mas não resistiu. A Delegacia de Homicídios (DH) foi acionada para fazer a perícia. Procurada pelo DIA, a corporação não deu mais detalhes do caso.

Ontem pela manhã, mais um arrastão ocorreu na avenida, o segundo consecutivo. Segundo a PM, criminosos da comunidade do Chaves tentaram fazer fechar o mesmo trecho a fim de roubar caminhões de carga.

Pelas redes sociais, motoristas relataram que muitos carros voltaram na contramão.

A PM informou que policiais do 41ª BPM (Irajá) foram acionados pelo Grupamento Aeromóvel e conseguiram impedir o roubo de três caminhões que haviam sido abordados por bandidos. Os criminosos conseguiram fugir para a comunidade do Chaves. Não há informação de feridos.

No último sábado, Rafael Braga, motorista do aplicativo Uber foi morto com um tiro na cabeça durante ação de bandidos na via expressa. Os bandidos, que haviam fechado as pistas da Avenida Brasil, por volta das 6h da manhã, conseguiram fugir sem levar nada da vítima.

Comentários

Últimas de Rio de Janeiro