Caxias sob vigilância de 383 câmeras até junho

Enquanto isso, Nova Iguaçu e São João de Meriti estão com seus sistemas de monitoramento desativados

Por Aline Cavalcante

Centro de Operações de Nova Iguaçu, inaugurado em março de 2016, está fechado desde o início do ano
Centro de Operações de Nova Iguaçu, inaugurado em março de 2016, está fechado desde o início do ano - Maíra Coelho / Agência O Dia

O município de Duque de Caxias anunciou que vai instalar 383 equipamentos de segurança eletrônica até junho do ano que vem. Ainda neste ano serão implantadas 40 câmeras, já que apenas quatro, das 22 que já existiam, estavam funcionando. Enquanto uns reforçam o sistema de segurança, nos municípios vizinhos, Nova Iguaçu e São João de Meriti, o sistema parou de funcionar.

O Centro de Operações de Nova Iguaçu (Conig), inaugurado em março de 2016, tinha 76 câmeras instaladas em pontos estratégicos do Centro e de bairros adjacentes escolhidos com base na mancha criminal analisada pelo Instituto de Segurança Pública (ISP). O Conig era integrado a 14 órgãos, entre eles a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. O serviço foi interrompido no início deste ano. Do investimento de R$ 3,6 milhões, R$ 700 mil foram do município. O restante veio do Governo Federal.

Em São João de Meriti, as 10 câmeras que geravam imagens para o Centro Integrado de Comando e Controle, na Cidade Nova, no Rio, também não operam mais. A prefeitura informou que os equipamentos estão com o 21º BPM, que negou a informação. O ônibus de monitoramento foi desativado na Praça da Matriz, no Centro. Moradores temem que a violência aumente ainda mais.

"Muito triste. O serviço não durou nem um ano. São João está muito perigoso e a gente tem medo que fique ainda pior", disse Maria Lucia, dona de casa.

Apenas Nilópolis e Queimados monitoram a cidade por câmeras. Nesta nova fase, em Caxias, serão instalados 40 equipamentos em todos os distritos para monitoramento das áreas de maior incidência de ocorrências policiais como assaltos, furtos, além de acidentes de trânsito. Estão sendo investidos R$ 1,4 milhão em recursos oriundos de emenda parlamentar do então deputado federal Washington Reis, que não foram usados pelo governo anterior. Das 22 câmeras implantadas pela antiga gestão, apenas quatro estão funcionando. O secretário de Políticas de Segurança, Robson Paschoal, disse que "os equipamentos inoperantes passarão por manutenção".

As câmeras de vigilância serão operadas 24 horas pelo centro de monitoramento. Após a primeira fase do programa, em janeiro, será instalado mais 21 equipamentos. As câmeras são modernas, com giro de 360 graus e nitidez para identificar uma pessoa ou placa de veículo até 800 metros de distância. Nesta etapa, cerca de R$ 1 milhão sertá investido, com recursos do Ministério da Justiça.

A central de monitoramento ajudará a Polícia Civil na elucidação de crimes e a PM em ações de repressão, além do Corpo de Bombeiros para atendimento a sinistros. As imagens ficarão arquivadas por 30 dias.

Galeria de Fotos

Em Nilópolis, vigilância está ativa, assim como em Queimados Divulgação
Ônibus de monitoramento no Centro de São João de Meriti foi desativado Divulgação
Centro de Operações de Nova Iguaçu, inaugurado em março de 2016, está fechado desde o início do ano Maíra Coelho / Agência O Dia

Comentários