Venda de carros para Pessoas com Deficiência triplicou em quatro anos

Condição de saúde de PCD deve ser comprovada por laudo médico para a concessão do benefício

Por O Dia

Levantamento realizado pela Associação Brasileira da Indústria, Comércio e Serviços de Tecnologia Assistiva (Abridef) revelou que a venda de veículos para pessoas com deficiência triplicou nos últimos quatro anos. As vendas saltaram de 42 mil unidades em 2012 para 139 mil em 2016. Um crescimento de 31,5% em relação a 2015 e a expectativa da Abridef é que esse aumento seja ainda maior em 2017.

Há mais de 20 anos a legislação brasileira prevê que pessoas portadoras de necessidades especiais (PNE) ou com patologias graves que dificultam a mobilidade comprem automóvel com isenção de impostos (IPI, ICMS, IOF e IPVA). A Gerente de Vendas Diretas do Grupo Carrera, Sueli Sanches, explica que o desconto pode chegar a 30% do valor total do carro e que, desde 2013, o benefício foi estendido aos familiares de PNE.

ACESSO A INFORMAÇÃO

"O acesso a informação é um dos principais motivos que tem contribuído para o aumento das vendas diretas PCD. Apesar das limitações - como o fato de o carro ter que ser fabricado no Brasil e não passar de R$70 mil para ter todos os descontos, o comprador ser obrigado a permanecer com o automóvel por no mínimo dois anos e a burocracia do processo -, ainda assim vale a pena fazer uso desse direito", explica.

Sueli ressalta ainda que a condição de saúde deve ser comprovada por laudo médico e que para a concessão do benefício é analisada a sequela, apenas casos com certa gravidade têm direito.

Comentários

Últimas de Automania