Tapete vermelho para a Sétima Arte

Teresópolis se prepara para sediar, em maio, a terceira edição do Brazil International Film Festival

Por LUIZ ALMEIDA

O festival vai premiar as melhores produções em oito categorias diferentes, entre elas curta e longa-metragem, documentário e filme de animação
O festival vai premiar as melhores produções em oito categorias diferentes, entre elas curta e longa-metragem, documentário e filme de animação - divulgação

Teresópolis vai estender o tapete vermelho para a Sétima Arte. Entre os dias 23 e 26 de maio, a cidade da Região Serrana irá receber a terceira edição do Brazil International Film Festival. O evento, que contará com sessões gratuitas, promete reunir o melhor da produção cinematográfica mundial. O apoio cultural é da Prefeitura de Teresópolis e do jornal O Dia.

Produzido pelas brasileiras ZE's Produções e Mox Music Produções Artísticas, além da canadense Bluesnowman Entertainment e a produtora portuguesa Rosa dos Ventos, o festival tem até o momento mais de 600 filmes inscritos, de 58 países diferentes. Durante o evento estão programadas trinta sessões abertas ao público todas serão gratuitas.

A festa de premiação será realizada no Teatro e Salão Cassino do tradicional Espaço Cultural Higino, prédio histórico de Teresópolis, de 1940. As produções vão concorrer em oito categorias diferentes longa-metragem, curta-metragem, curta-metragem de língua portuguesa, animação, série de TV e Internet, documentário e melhor filme de estudante, além de prêmio especial do júri.

De acordo com o organizador do festival, o cineasta José Claudio Silva, a cidade de Teresópolis vai 'respirar' cinema e ainda vai poder conferir diversas exibições gratuitas, além de entrar em contato com personalidades e cineastas de vários países. "Temos uma expectativa muito grande, já que o festival vem crescendo muito e atingirá uma grande dimensão em 2018, com atores, produtores e diretores do mundo inteiro", adianta José Claudio Silva.

JÚRI

No corpo de jurados, o próprio diretor do festival, o cineasta José Claudio Silva, e David Leonard, presidente do Trebas Institute, do Canadá. Além deles, o júri é formado por Marcelo Cabral (editor, assistente de direção, produtor musical e compositor), Edson Spinello (diretor de televisão e cinema) e André Di Mauro (ator, roteirista e cineasta).

Galeria de Fotos

O festival vai premiar as melhores produções em oito categorias diferentes, entre elas curta e longa-metragem, documentário e filme de animação divulgação
Até o momento, o evento já conta com mais de 600 filmes inscritos, oriundos de 58 países diferentes divulgação

Comentários