Defesa de Eduardo Cunha entra com recurso no Supremo

Ministro Teori Zavascki terá que analisar os chamados embargos de declaração

Por O Dia

Brasília - A defesa do presidente da Câmara afastado, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), entrou nesta terça-feira com um recurso no Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar reverter a decisão dos ministros de transformá-lo em réu na Operação Lava Jato.

Os chamados embargos de declaração terão que ser analisados pelo ministro relator do caso, Teori Zavascki, e serão levados posteriormente para a apreciação em plenário.

No entendimento do Supremo, Cunha cometeu os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro ao usar o seu cargo de deputado para pressionar pela retomada de um esquema de propina em 2011. Esses recursos, que somariam US$ 5 milhões, seriam fruto de contratos da venda de navios-sonda para a Petrobras em 2006 e 2007.

Últimas de Brasil