Perícia investiga queda do helicóptero que matou noiva e mais três

Vítima realizava o sonho de entrar no casamento; noivo e convidados não sabiam da surpresa. Acidente também matou fotógrafa que estava grávida

Por O Dia

São Paulo - A Polícia Civil de São Paulo e a Aeronáutica realizam perícia nesta segunda-feira para começar a apurar as causas da queda do helicóptero em São Lourenço da Serra (SP), no domingo. A aeronave levava a noiva Rosemere do Nascimento Silva, de 32 anos, ao seu casamento. Na queda, também morreram o irmão da noiva, Silvano Nascimento da Silva, além do piloto Peterson Pinheiro e da fotógrafa Nayla Cristina Neves Lousada, que estava grávida de seis meses.

A noiva%2C minutos antes de entrar no helicópteroReprodução/TV Globo

A chegada ao casamento de helicóptero era um sonho de Rosemere e uma surpresa para o noivo e para os 300 convidados, que esperavam no sítio onda a cerimônia seria realizada. O dono do buffet, que sabia do combinado, percebeu o atraso na chegada e ligou para a empresa dona da aeronave, que informou sobre o acidente. 

Os destroços do helicóptero que caiu quando levava a noiva ao seu casamentoReprodução/TV Globo

O helicóptero era um Robinson 44, matrícula PRTUN, cuja capacidade era de três pessoas mais o piloto. De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a aeronave estava dentro das especificações de inspeção e certificado de voo e poderia voar normalmente. As condições do tempo na tarde de domingo podem ter colaborado para a queda.

Os familiares das vítimas aguardavam a liberação dos corpos no Instituto Médico Legal (IML) em São Paulo.

Últimas de Brasil