Estudante desaparecido do Acre teria baseado criptografia em almanaque infantil

'Códigos marcianos' estavam em 'Manual do Escoteiro Mirim', revista em quadrinhos da Disney

Por O Dia

Rio - O suspense por trás do desaparecimento de Bruno Borges, de 24 anos, continua movimentando a Internet. Intrigados com a história do estudante de psicologia que deixou 14 livros criptografados em Rio Branco, no Acre, usuários do Twitter indentificaram uma similaridade entre os caracteres usados pelo jovem com os códigos marcianos encontrados no "Manual do Escoteiro Mirim", revista em quadrinhos da Disney.

Usuários do Twitter chamam o estudante de 'Full Metal Alchemist' em alusão a anime japonêsReprodução Twitter

O manual é um compilado com curiosidades sobre sobrevivência que, ao longo do tempo, foram sendo aplicadas pelos personagens Huguinho, Zezinho, Luizinho, Donald e Tio Patinhas. Dentre as informações dispostas no manual, uma delas pareceu ter relação com a "criptografia" de Bruno: o "Código Marciano". No livro, o código tem a proposta de proporcionar ao aventureiro conversas secretas com seus amigos.

Alguns detalhes sobre o desaparecimento do rapaz ainda não foram explicados, mas de acordo com relatos de amigos, ele já pretendia se exilar. A Polícia Civil não descartou nenhuma linha de investigação, mas em entrevista à Rede Amazônica, o delegado Geral do Acre, Carlos Flávio Portela, disse que não há indícios de crime.

Bruno passou cerca de 30 dias trancado dentro de seu quartoReprodução TV / Rede Amazônica Acre

O Caso

Bruno Borges, desapareceu no dia 27 de março, em Rio Branco, no Acre. Estudante de Psicologia, o jovem participava de um almoço em família quando foi visto pela última vez. Segundo sua família, semanas antes, Bruno já havia vivido período de reclusão dentro de seu próprio quarto.

O quarto do rapaz é mais um motivo para o mistério. Erudito, com interesse pela filosofia, a família acredita que Bruno tenta continuar trabalho do teólogo Italiano Giordano Bruno (1548-1600), por quem o estudante tem grande interesse.

Em seu quarto foram encontrados os 14 livros escritos a mão e criptografados, além de uma estátua de Giordano, avaliada em R$ 7 mil.

Últimas de Brasil