Esplanada: Caciques do PMDB e líderes da oposição são chamados a destituir Renan

A atuação de Calheiros como anfitrião do encontro entre senadores da oposição e centrais sindicais foi vista como “gota d’água” pelo Planalto

Por O Dia

Brasília - A única reforma que deu certo até agora e aceita pelos sindicatos foi a do perfil de Renan Calheiros, que pulou da base para a oposição ao Governo de Michel Temer. A atuação do líder do PMDB como anfitrião do encontro entre senadores da oposição e centrais sindicais foi vista como “gota d’água” pelo Palácio do Planalto.

Além de caciques do PMDB, líderes da oposição – como Aécio Neves (MG) e Cássio Cunha Lima (PB), do PSDB – foram escalados para articular a destituição de Renan. 

Quem te viu

Durante o encontro na liderança do PMDB, Renan Calheiros foi chamado de “fiel companheiro” pelos sindicalistas e de “parceiro coerente” por senadores da oposição.

“Imponderável”

Os ministros informaram a Temer que ainda não têm a certeza de que a reforma da Previdência será aprovada em plenário da Câmara. A palavra citada é “imponderável”.

Legado

A AGLO - nova gestora do Parque Olímpico do Rio - vai ceder a arena de tênis para a 1ª etapa do mundial de vôlei de praia, de 18 a 21 de maio, em parceria com a CBV.

Fora do Fórum

O ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM-PE), editou Portaria Nº 577 e excluiu entidades ligadas aos Governos petistas do Fórum Nacional de Educação. Integram a lista, entre outras, a Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Educação, Fórum Nacional de Diretores de Faculdades, a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensino.

#Repúdio

Em nota, 21 entidades informam repudiar o que chamam de “decisão arbitrária” do Governo. “De forma autoritária e centralizada, toma o ministro para si a responsabilidade de ‘arbitrar’ quem entra e quem sai do FNE, passando por cima dos regulamentos e procedimentos que dispõem sobre ingresso de entidades”.

Salve, Enéas

Em tempos de tanta decepção com parlamentares, vale a lembrança. Completam-se domingo 10 anos da morte do Dr. Enéas, o famoso candidato a presidente. Projeto de lei apresentado pela deputada Rosinha da Adefal o declara Patrono da Eletrocardiografia.

Imortal

Enéas até hoje é insuperável. Nem Tiririca, o deputado mais votado do Brasil atualmente, ultrapassou os 1,57 milhão de votos que o médico obteve para a Câmara.

Tensão total

Prova do nível da tensão no Palácio com a reforma da Previdência. Mal terminara a votação na comissão, o ministro Padilha ligou cinco vezes para o relator Arthur Maia.

Te cuida, Lula!

Na iminência do esperado depoimento ao juiz Sérgio Moro, gaiatos em Curitiba espalharam outdoors com ilustrações do ex-presidente Lula da Silva com uniforme de presidiário e a frase “Bem-vindo. A República de Curitiba te espera de grades abertas”.

Cerco popular

O advogado Mariel Marley Marra protocolou na Assembleia Legislativa pedido de impeachment do governador de Minas, Fernando Pimentel (PT), que teve revés na quarta no STF. Ele será alvo do STJ, que decidirá se abre ou não ação por suspeitas de envolvimento em maracutaias da campanha eleitoral, já descobertas pela PF.

Vá entender

O Brasil é mesmo um País sui generis. Com tantos bons exemplos a ressaltar, eis a novidade: vai virar filme a vida de um conhecido ladrão de livros raros de bibliotecas, cuja captação foi aprovada pela Ancine (R$ 771 mil) para a Boutique Filmes.

Discussão obrigatória

A ONG norte-americana de direitos humanos Vital Voices e a Avon se unem para o 2º Workshop Internacional de Acesso à Justiça, em Brasília, nos dias 08 a 11 de maio. Vão discutir ‘Respostas Eficazes à Violência Contra as Mulheres’.

Poder da internet

Aos 17 anos, a Hostnet, uma das maiores provedoras de internet do País, inova e vai lançar franquia de hospedagem de sites. Estudos apontam mais de 5 milhões de empresas sem site, o que demonstra potencial demanda: https://www.hostnet.com.br

Mercado online

O surgimento da Hostnet é daqueles cases de sucesso bem brasileiros. O fundador Kauê Linden, um garoto à época, abriu a empresa na garagem de casa no Rio, com um sócio em Porto Alegre, que só conheceu anos depois, pois se comunicavam por bate-papo.

Coluna de Leandro Mazzini

Últimas de Brasil