Juíza que proibiu manifestações onde Lula irá depor usou Facebook para atacá-lo

Diele Denardin Zydek também usou a rede social para manifestar apoio à redução da maioridade penal e pelo fim do desarmamento da população

Por O Dia

Curitiba - A juíza que proibiu manifestações durante depoimento do ex-presidente Lula em Curitiba, Diele Denardin Zydek, usou seu Facebook, em março do ano passado, para atacar o petista e também a ex-presidente Dilma Rousseff. Autodeclarada antipetista, a magistrada também é favorável à redução da maioridade penal para 16 anos e contrária ao desarmamento da população.

Perfil da juíza na rede social foi excluído%2C mas postagens continuam circulandoReprodução Twitter

A postagem contra o ex-presidente foi publicada em março, quando Lula foi conduzido coercitivamente à sede da PF para passar por interrogatórios sobre relacionados a Operação Lava Jato. De acordo com reportagem da Folha de São Paulo, à época, a atitude da justiça federal foi muito questionada, uma vez que o petista nunca havia se negado a colaborar com as investigações. "E hoje a casa caiu para o Lula", publicou Zydek.

Na rede social, a juíza também demonstrou apoio a Sérgio Moro e compartilhou convocações para o protesto de 13 de março que pedia o Impeachment da ex-presidente Dilma. Em outra postagem, Zydek chamou a nomeação de Lula para ministro da Casa Civil de "manobra criminosa".

A juíza também comemorou quando Moro autorizou a quebra de sigilo do diálogo entre Dilma e Lula. "Lula assustado com a República de Curitiba! Que bom!", comentou.

Últimas de Brasil