Esplanada: Marta Suplicy é a principal cotada para o Ministério da Cultura

Palacianos alertaram o presidente Michel Temer sobre os desgastes com o nome da aliada. Ela é suspeita de receber caixa 2 da Odebrecht

Por O Dia

Brasília - A praticamente um ano do início das campanhas, muita gente almeja o Ministério da Cultura como vitrine para candidaturas em seus Estados. São deputados, senadores e até suplentes. A principal cotada é a senadora Marta Suplicy (PMDB-SP), que já ocupou a pasta no Governo Dilma.

Mas Palacianos alertaram o presidente Michel Temer sobre os desgastes com o nome da aliada. Marta é suspeita de receber caixa 2 da Odebrecht, segundo delação de Benedicto Junior e Carlos Pashoal. Se confirmada a nomeação, subirá para nove o número de ministros envolvidos com a Lava Jato.

Na fila 1

Outra cotada é a suplente do ex-deputado Eduardo Cunha, Laura Carneiro (PMDB-RJ), que já foi citada – e absolvida em CPI – no esquema da máfia dos sanguessugas.

Na fila 2

Na fila também aparece o deputado paraibano André Amaral (PMDB), mas sem padrinhos. O PSDB, num desce-não-desce do Governo, também tem gente interessada.

Na veia

A Polícia Federal prendeu ontem dois agentes policiais da própria corporação na operação contra comércio ilegal de anabolizantes.

Sombra de Cunha

Mesmo cassado e preso, o deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) mantém sua sombra sobre boa parte do Congresso, até em projetos em tramitação na Câmara. Na quarta, o relator Edmilson Rodrigues (PSOL-PA) deu parecer contra um estranho projeto de lei (nº 3543) na Comissão de Finanças e Tributação apresentado por Cunha em 2008.

Fé no dinheiro

Na proposta, Cunha determinava “a dedução de imposto de renda de quantias doadas às instituições religiosas”. Caso sério e polêmico. Recentemente, dois se enrolaram com ligações de doações partidárias com igrejas.

Joelho no milho

O Pr. Silas Malafaia já prestou depoimento à PF sobre cheque recebido, e o ex-senador Gim Argello (PTB-DF) enrolou um famoso e sério padre de Brasília. Ambos por causa de cheques de R$ 100 mil doados.

Perdeu, doutor

Desesperadas com notícia de que o caso da correção da poupança deve terminar por acordo e não com decisão judicial, grandes bancas de advogados contratadas pela Febraban visitam ministros de tribunais e pedem atenção especial para a extinção de todas as ações antes da assinatura do acordo.

Saldo

Os escritórios, evidente, não querem perder milhões em honorários. Entre os escritórios estão os do ex-ministros Eros Grau (STF) e Cesar Asfor Rocha (STJ), e o notório Sergio Bermudes, sócio da esposa do ministro Gilmar Mendes, do Supremo.

Polêmica à vista

A CPI dos Maus Tratos a Crianças foi aprovada e ainda não instalada, mas o clima já esquenta no Senado. Está protegida em Brasília uma enfermeira de Cuiabá que acusa o pai do garoto de 3 anos de estupro da criança. Ela vai depor na Comissão de Direitos Humanos do Senado. Tem dossiê com perícia de especialistas e material-bomba

Segredo de justiça

O pai da criança é um famoso profissional de Cuiabá e com parentes eminentes no Judiciário do Estado. Há Boletins de Ocorrência policial dos dois lados – entre os pais. E processo que corre em segredo de Justiça. A mulher perdeu a guarda da criança, mas continua com o menino.

Derrapou

A Agência Nacional de Transportes Terrestres entrou na mira da Polícia Rodoviária Federal e da Polícia Civil do Espírito Santo devido ao acidente que matou mais de 20 pessoas em rodovia do Estado. A carreta que provocou o acidente tinha sobrepeso, pneus carecas e não havia passado por fiscalização em balança.

Pista livre

A ANTT tem quatro postos de fiscalização com balança em rodovias do ES, inclusive na rodovia onde ocorreu a tragédia. Três deles estão fechados porque faltam servidores. Dois deles foram inaugurados nos últimos meses.

Acabou

Senador João Alberto Souza (PMDB – MA), presidente do Conselho de Ética, arquivou, na surdina na noite desta sexta-feira o processo contra Aécio Neves

Ponto Final 

Brasília recebe hoje o II Simpósio Nacional de Uro-oncologia e cirurgia oncológica, organizado pelo Grupo Oncologia D’Or com especialistas do Brasil e exterior.

Coluna de Leandro Mazzini

Últimas de Brasil