Ministros exonerados para ajudar Temer na Câmara reassumem pastas

Votação desta quinta-feira barrou a investigação contra o presidente

Por O Dia

Brasília - Os dez ministros que foram exonerados para ajudar o presidente Michel Temer na votação da denúncia na Câmara já retornaram ao comando das pastas. Nesta quarta-feira, o plenário da Casa decidiu pelo arquivamento da denúncia de corrupção contra Temer, por 263 votos a 227.

Sessão para votação de denúncia contra Temer na Câmara contou com ajuda de ministros exoneradosMarcelo Camargo/Agência Brasil

Os ministros escalados para cumprir a orientação de Temer e que foram nomeados novamente nesta quinta-feira, são: Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo), Mendonça Filho (Educação), Bruno Araújo (Cidades), Fernando Bezerra Coelho Filho (Minas e Energia), Osmar Terra (Desenvolvimento Social); Leonardo Picciani (Esporte), José Sarney Filho (Meio Ambiente), Ronaldo Nogueira (Trabalho), Marx Beltrão (Turismo) e Mauricio Quintela (Transportes).

A nomeação dos titulares dos Ministérios está publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira.

Investigação barrada

A intensa movimentação do presidente Michel Temer e seus aliados em busca de votos resultou em vitória expressiva na Câmara nesta quinta. 

Agora, Temer só poderá ser processado por corrupção após o encerramento do seu mandato, em 31 de dezembro do ano que vem. No entanto, uma nova denúncia da PGR deverá ser oferecida nos próximos dias. As investigações sobre os crimes de formação de quadrilha e obstrução de Justiça estão em andamento, segundo o procurador-geral Rodrigo Janot.

A farta liberação de emendas parlamentares desde que a denúncia chegou à Câmara (R$ 2,3 bilhões) seguiu até o dia da votação, em busca de apoio para barrar a denúncia. 

Com informações da Agência Estado

Últimas de Brasil