Dinheiro público em campanha rejeitado

Apenas 8,9% dos eleitores são favoráveis a destinar recursos da União aos partidos

Por O Dia

Rio - a terça-feira, a Câmara dos Deputados retoma a votação da Reforma Política. Os parlamentares têm pressa, já que precisam aprovar até 7 de outubro, em dois turnos e por dois terços dos votos, as mudanças.

Resultado de pesquisaArte O Dia

Após esse prazo, as regras não valeriam para 2018. Entre as novas regras aprovadas na comissão especial da Reforma Politica e que agora o plenário avalia está a criação de um fundo destinado às campanhas eleitorais. Segundo a proposta, esse fundo seria composto, no próximo ano, por recursos da União da ordem de R$ 3,6 bilhões.

Um levantamento do Paraná Pesquisas revela o tamanho da impopularidade da proposta: 87,4% dos eleitores são contrários à ideia de destinar mais recursos públicos para os partidos, além dos cerca de R$ 800 milhões que as legendas dividem a cada ano.

A rejeição é semelhante em todas as faixas etárias, faixas de renda e no recorte por gênero. No Sudeste, região onde mais pessoas souberam opinar sobre o tema, ela atinge o patamar mais alto: 89% dos pesquisados.

O levantamento foi realizada de terça a quinta-feira, com 2.802 pessoas de mais de 16 anos. A margem de erro da pesquisa é de 2%. 

Com a reação negativa, os deputados estudam criar o fundo, mas deixar para a lei orçamentária a definição, a cada eleição, dos recursos que serão destinados aos partidos.

Últimas de Brasil