Corte demonstra coragem política para atingir superávit, diz Lagarde

No entando, diretora-gerente do FMI disse que volume do contigenciamento precisa ser estudado cuidadosamente para saber se será suficiente

Por O Dia

A diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, afirmou nesta sexta-feira que o contigenciamento de gastos não obrigatórios pelo governo demonstra coragem política e determinação para atingir a meta de superávit primário de 1,2% do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano.

"Não vou me apressar em conclusões e dizer se é suficiente, se é muito, se é pouco, porque isso obviamente precisa ser estudado cuidadosamente", disse Lagarde, quando questionada a respeito do volume de cerca de R$ 70 bilhões do contigenciamento, divulgado por fonte.

Últimas de _legado_Notícia