Gravação de um show perdido de Jorge Mautner é descoberta e lançada em CD

Álbum traz canções que ele mal lembrava ter feito

Por O Dia

Rio - Convidado do programa ‘Encontro Com Fátima Bernardes’ cujo tema era memória, na última semana, Jorge Mautner quase ficou esquecido entre os convidados. Cantou, mas não teve oportunidade de contar o recente episódio de amnésia artística pelo qual passou: o produtor musical Marcelo Fróes descobriu gravações ao vivo de 1972, lançadas só agora no CD duplo ‘Para Detonar a Cidade’ (Discobertas), com seis músicas inéditas de Mautner que ele assume nem lembrar de ter feito.

O cantor e compositor se espantou ao ouvir o disco ‘perdido’Daryan Dornelles/Divulgação


“Pois é, era para eu falar disso no programa”, diverte-se o cantor e compositor. “É impressionante que eu me esqueça de uma música que eu mesmo fiz, mas é que eu já estou com 73 anos e tenho muitas músicas, componho desde 1958”, justifica.

Mautner gostou tanto da “sessão nostalgia”, pela qual passou ao reescutar suas obras perdidas, que pretende reaprender as tais inéditas para cantá-las em seus shows. “Com certeza ‘Roses From Baghdad’, ‘Medonho Quilombo’ e ‘Salve, Salve a Bahia’ estarão no roteiro a partir de agora. Mas as músicas continuam brotando, e este ano ainda vai sair um disco novo meu, onde vou regravar também músicas minhas que foram gravadas por outros artistas, mas que eu mesmo nunca gravei, como ‘Lenda do Pégaso’, que fiz com o Moraes Moreira, e ‘O Rouxinol’, parceria minha com o Gil”, detalha.

No tal programa da Fátima Bernardes, ele não falou da memória, mas cantou em dueto com outra convidada, Tulipa Ruiz, representante de uma nova safra de cantoras brasileiras. “Eu não sei por que essa turma jovem está sempre se ligando em mim”, comenta ele, que foi mentor da moçada da Orquestra Imperial. “Acho que é porque costumo ser um cara antenado nas novidades”.

Últimas de Diversão