Linkin Park de volta às raízes em seu novo CD

Sexteto californiano anuncia que ‘The Hunting Party’ é seu disco mais agressivo, com menos destaque para a pegada eletrônica dos recentes lançamentos

Por O Dia

Rio - A onipresente Copa do Mundo, acredite, não é uma unanimidade mundial. Dos norte-americanos, por exemplo, o que se sabe é que não ligam muito para o futebol. Afinal, eles têm uma modalidade só deles. “Gostamos mais do nosso tradicional futebol americano. Estamos trabalhando muito, mas vou conseguir tirar uns dias livres para ver a Copa e me atualizar”, promete Rob Bourdon, baterista da banda californiana Linkin Park.

O Linkin Park%3A em pé%2C Joe Hahn (E)%2C Brad Delson%2C Rob Bourdon e Phoenix%3B sentados%2C Mike Shinoda e Chester Bennington. Abaixo%2C a capa do CDDivulgação


O trabalho duro a que ele se refere, e que o isolou de saber que a seleção dos Estados Unidos até que está mandando bem no torneio, é a preparação para a turnê de lançamento do CD ‘The Hunting Party’, sexto de estúdio deles. “Adoramos tocar no Brasil, é sempre incrível, a turnê deve passar por aí no ano que vem”, anuncia Bourdon.

Os fãs vão conferir um Linkin Park mais pauleira neste lançamento que em seus discos mais recentes, onde as batidas eletrônicas ganharam espaço considerável. “Quando eu penso em mim mesmo aos 15 anos, eu gostava de música que era liricamente e sonoramente ofensiva. Qualquer coisa irritaria meus pais. Tivemos que voltar a essa fase para fazer este disco”, explica o multi-instrumentalista e vocalista Mike Shinoda, sobre a origem do álbum.

Rob Bourdon acrescenta: “‘The Hunting Party’ é definitivamente nosso disco mais agressivo e com mais energia. Gravamos como se fosse um show ao vivo, com todos os músicos tocando juntos, ao mesmo tempo, para captar a energia de estar em um palco.” O o guitarrista Brad Delson completa: “Nós tivemos uma atitude punk rock de ‘eu não dou a mínima, é isso que eu quero fazer’.”

Para conseguir o resultado que buscava, o Linkin Park pediu uma ajuda aos amigos Daron Malakian, guitarrista do System Of a Down; Tom Morello, guitarrista do Rage Against The Machine; e Page Hamilton, vocal do Helmet. “Eles adicionaram muito ao nosso som, lembrando que nunca antes abrimos espaço para participações de outras pessoas”, ressalta Bourdon. “O System Of a Down, por exemplo, eu acho uma das melhores bandas que já vi tocando ao vivo. Foi muito excitante contar com esses artistas no disco.”

Os músicos do grupo acreditam que ‘The Hunting Party’ vá agradar em cheio principalmente às pessoas que ficaram impactadas com o rock com influências de hip-hop de seu primeiro disco, ‘Hybrid Theory’, de 2000. “Não é um retorno a um estilo ou som, é um retorno a uma ideia, uma inspiração que nos antecede como banda. É o resultado de uma fome de música que não estamos ouvindo ninguém fazendo”, decreta Delson.

Últimas de Diversão