Nise Palhares diz que teve aumento de 80% no cachê com o 'The Voice'

Cantora faz média de três shows por fim de semana, e inclui viagens por todo o Brasil

Por O Dia

A voz meio rouca de Nise Palhares anuncia que a cantora não vai deixar o jogo fácil para os concorrentes. Considerada uma das fortes candidatas à final por conta da repercussão que tem nas redes sociais, Nise elege seus preferidos para um bom duelo: a dupla Vitor e Vanuti, Lui Medeiros e a adolescente Nonô Lellis.

“Vitor e Vanuti são ótimos, com uma qualidade musical muito boa. A Nonô é muito querida e muito votada. E o Lui é um cara forte, canta muito bem e tem um ótimo trabalho”, arrisca a cantora, de 32 anos.

Nise Palhares está confiante em escolha do públicoCamila Serejo / Gshow

Essa não é a primeira vez que Nise integra um reality show. Em 2010, participou do programa ‘Ídolos’, da Record, em que virou amiga do ator e cantor Chay Suede. Na ocasião, a cantora chegou até a final, mas acabou em terceiro lugar. “O pessoal que me conheceu naquela época estava meio disperso, mas agora dei uma incendiada nessa galera, que não concordou com o terceiro lugar”, provoca.

Pode-se dizer que boa parte dos admiradores de Nise é LGBT. E como falar de sua sexualidade nunca foi um tabu, Nise festeja o apoio de seus fãs. “As tribos se abraçam, mas a música rompe barreiras. Fiquei muito feliz quando veio um pai com sua filha no colo me dizer que eu era sua cantora favorita. Ou quando um fortão veio me elogiar. Vi que muita gente não tem preconceito”, vibra.

Cantando nos barzinhos da vida há 14 anos, ela viu seu orçamento dar um upgrade depois que apareceu no ‘The Voice’. “O cachê aumentou absurdamente. Posso dizer que cresceu 80%”, comemora. A média de três shows por fim de semana inclui viagens por todo o Brasil.

Chay Suede e Nise durante apresentação do programa ‘Ídolos’%2C em 2010Reprodução Internet

Nem mesmo as acusações de que ela tenta imitar algumas cantoras tiram o bom humor da artista. “Nas redes sociais, há muitas pessoas más. Dizem que fico imitando a Ana Carolina. Eu não quero fazer cover de ninguém. Mas acho bacana quando fazem uma comparação sem maldade. Ana canta demais, sou fã dela. Quando um artista surge no mercado, sempre querem comparar”, defende-se. “O Jorge Vercilo, que é incrível, foi comparado ao Djavan. A própria Ana Carolina foi comparada à Zélia Duncan. Posso dizer que eu tenho a doçura da Ana, a agressividade da Cássia Eller, mas sou uma terceira pessoa”, diverte-se Nise, que está com seu primeiro álbum no forninho, prestes a ser lançado.

Integrante do time de Claudia Leitte, a cantora admite que a disputa está árdua. Ela luta pela preferência do público e de sua técnica ao lado de Leandro Buenno e Lui Medeiros. Mas está certa de que o telespectador escolhe o vencedor, não necessariamente o melhor.

“Às vezes, muitos músicos com mais qualidade vocal acabam perdendo para um rostinho bonito. Mas é o público que decide quem ele quer ouvir. Se o vencedor for só casca, não vai se firmar. Mas procuro não julgar. Todos batalharam, sofreram e se empenharam para estar ali. Com sonho não se pode brincar.”

Últimas de Diversão