Filho de Zeca Pagodinho produz DVD com novos nomes do samba

Eduardo Chaves arma seu quintal no Beco do Rato, na Lapa

Por O Dia

Rio - A cerveja que patrocina Zeca Pagodinho está quente. Sem problemas para o filho do sambista, Eduardo Chaves, que tranquilamente degusta garrafas da marca concorrente em um animado bate-papo no Beco do Rato, na Lapa. “O patrocinado é ele! É só me dar um dinheiro que eu bebo até quente!”, brinca Chaves.

Eduardo Chaves (acima) e com os novos nomes do samba%2C na LapaMárcio Mercante / Agência O Dia

É de gole em gole no Beco, uma das mecas do samba carioca, que o, agora, filho mais velho de Zeca Pagodinho (depois da morte de Elias Gabriel da Silva este mês, aos 28 anos) produz um DVD com uma geração do samba que ainda não tem reconhecimento do grande público. Entre eles Gabrielzinho do Irajá, João Martins, Juninho Thybau, João Martins, Renato da Rocinha e os grupos Arruda e Galocantô.

“É a primeira vez que vão registrar um DVD aqui, que já foi cenário de comerciais e novelas. Aqui é um ponto de encontro da rapaziada, que vem apresentar músicas novas, trazem as letras e distribuem para que todos aprendam a cantar na hora”, descreve o produtor.

O DVD será lançado em abril como o próximo volume da já conhecida série da rádio MPB FM ‘Samba Social Clube’, com o subtítulo ‘Nova Geração’. “A intenção é registrar o clima real do botequim. Se fosse na Fundição Progresso, onde foram registrados outros volumes da série, ficaria muito frio, distante do público. O formato será o de uma grande roda de samba, como nos velhos tempos”, antecipa.

O projeto de Eduardo Chaves guarda semelhanças com o ‘Quintal do Pagodinho’, no qual seu pai joga holofotes nos compositores dos sucessos gravados. “Meu pai sempre deu valor aos compositores. Em entrevistas, sempre que perguntam algo sobre sua música ‘Deixa a Vida Me Levar’, ele responde: ‘Minha música, não! Essa música é do Serginho Meriti!’”, ressalta Chaves.

“Meu pai disse que queria estar presente na gravação, mas infelizmente está viajando e se recuperando de uma cirurgia na coluna. Eu pilho muito ele com o repertório dessa galera nova. Encho o saco mesmo, coloco CDs no carro, em casa, para ele ouvir, e ele tem se espantado com a qualidade do material. Tanto que deve gravar músicas dessa nova geração em seu próximo CD de estúdio, programado para este ano”, comemora.

Apesar de toda a alegria com o promissor sucesso que marca a estreia de sua produtora, Eduardo Chaves diz que lamenta mesmo a ausência de seu irmão, Elias. “Ele era um cara muito gente boa, um ano mais velho que eu, sempre me incentivou, acreditava no sucesso da minha produtora. Ele falava que queria trabalhar comigo, acompanhou esse projeto desde o início”, resigna-se. “Mas a gente não pode parar a vida, e tenho certeza que ele está acompanhando tudo o que está acontecendo de onde estiver.”

Últimas de Diversão